27 abril 2011

Segundo dia do Wedding Brasil 2011.

O dia foi bem agitado e com muita informação no Congresso.

O dia começou bem cedo, com o café da manhã tomado no Memorial, já que por causa do rodizio em Sampa cheguei cedo, o café aqueceu e preparou para o dia cheio de atividades.

Com muitas atrações e informações o dia poderia ser resumido como um dia para pensar o olhar fotográfico, já que o tema foi recorrente na fala de vários palestrantes do dia.

Jared Windmuller abriu o dia de trabalhos no congresso, falando sobre ensaio pré-wedding como recurso para descontrair os noivos e criar afinidade, gerando assim um relacionamento que agregue valor ao trabalho; observou que "noiva adora ser fotografada, o noivo não, mas geralmente é ele quem paga", isto aumenta a importância de um bom relacionamento com este cliente; destacou ainda a importância de "treinar o olhar".


A convergência das midias esteve presente no Congresso com Daniel Torraca falando sobre o uso de câmeras DSLR na produção de vídeos em casamentos; uma palestra bem técnica que mostrou as vantagens de se trabalhar com o sistema, acessórios disponíveis, destacando a necessidade do estudo e treino para utilizar o equipamento da melhor forma possível, mas sem esquecer que a criatividade faz o diferencial. A apresentação teve direito de demonstração ao vivo com a participação dos representantes do blog Fotografia DG.


Depois da pausa do almoço, que iniciou os trabalhos no Núcleo de Tecnologia, além do encontro com um amigo de curso, foi a vez do mexicano Fer Juaristi subir no palco e abalar as estruturas do Congresso. Enfatizou a necessidade do fotógrafo encontrar o seu olhar e ter coragem de arriscar, mudar e apostar nisso; mostrou belas imagens elogiadas pela maioria dos presentes, e mostrou que fazer belas imagens pode ser simples fotografando ao vivo uma modelo apenas com luz natural.


Em seguida o americano Riccis Vlladares reforçou esta necessidade do fotógrafo criar seu estilo, mostrou seu estilo único, com imagens em Preto e Branco, ainda fotografadas em película com câmera Leica e objetivas fixas, com opção de ampliações PB manuais, um trabalho com nítida inspiração nas clássicas fotografias de Bresson, que se torna cada vez mais raro em nosso mundo tecnológico.


O também americano Jose Victor Stefanik, ou simplesmente JVS, criou um belo clima para sua apresentação, com baixa luz no auditório apresentou seu portefólio contando sua história, iniciada no fotojornalismo, chegando a emocionar com imagens das matérias que cobriu. Quando realmente chegou ao seu tema, uso de flash e inovação deu um show técnico, mostrando os vários acessórios que utiliza com flashs Canon; destacou a necessidade do fotógrafo dominar seu equipamento "Se você conhece sua câmera, fotografar se torna fácil", enfatizando que em todas as profissões o treino é essencial para o aperfeiçoamento, não sendo diferente na fotografia.

O dia ainda reservava um agitado Hapy Hour, pelo qual passei brevemente, e que pelas noticias no Twitter ficou muito animado após a entrega da premiação do Prêmio Wedding Brasil de Fotografia 2011.

Amanhã tem mais!!

Acompanhe no Twitter: @alemdoolhar




Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Alem do Olhar - Fotografia. - Powered by Blogger - Traduzido Por: - Templates Para Blogspot