24 abril 2015

Livro: Outras fotografias na arte brasileira séc. XXI

Múltiplas relações entre o real e a arte são tema de novo livro que apresenta obras de 24 artistas contemporâneos 



Com obras de 24 artistas brasileiros contemporâneos que se utilizam da fotografia para construir possíveis caminhos de representação a partir das intrincadas relações entre o real e o artístico, a Editora Cobogó lança em edição bilíngue Outras fotografias na arte brasileira séc. XXI, o quarto volume da série de panoramas sobre a arte produzida no país nos últimos anos.

ARTISTAS PARTICIPANTES

Alice Miceli, Ana Lira, Ayrson Heráclito, Bárbara Wagner, Berna Reale, Claudia Andujar, Cinthia Marcelle, Dias & Riedweg, Gabriel Mascaro, Gilvan Barreto, Guy Veloso, João Wainer, Jonathas de Andrade, Lais Myrrha, Miguel Rio Branco, Paulo Nazareth, Pedro David, Pio Figueroa, Rivane Neuenschwander, Romy Pocztaruk, Rosângela Rennó, Sara Ramo, Virginia de Medeiros e Yuri Firmeza.

Anjo- Guy Veloso
Se em Fotografia na arte brasileira séc. XXI (2014) — o livro anterior da coleção que conta ainda com os volumes Pintura brasileira séc. XXI (2012) e Desdobramentos da pintura brasileira séc. XXI (2013) —, o foco era a produção de artistas que elegeram a fotografia como eixo central de sua obra, desta vez o recorte do livro, organizado por Isabel Diegues, em colaboração com Júlia Rebouças, Luisa Duarte e Moacir dos Anjos, é de trabalhos que abordem a questão da representação do real e suas implicações estéticas e políticas neste século.

“No processo de elaboração do conceito norteador do livro, nos debruçamos sobre a pesquisa de obras que tratassem de algo essencial na fotografia: sua vocação para representar o real, tomando-o como experiência partilhada por um coletivo, por questões inerentes à realidade em que vivemos, pelo encontro entre o sujeito e o mundo à sua volta”, explica a organizadora do livro.

Árvore- Pero David.

A diversidade dos caminhos apresentados pelos artistas convidados, que vão dos já consagrados Claudia Andujar, Rosangela Rennó e Miguel Rio Branco aos mais jovens como Paulo Nazareth,  Cinthia Marcelle, Pedro David, Guy Veloso e Alice Miceli, entre outros, indica como as noções acerca do tema podem ser apreendidas e recriadas de modos bastante singulares. Percorrendo as 245 imagens da obra, é possível encontrar diversas questões que tangenciam o conceito central, como a relação entre estética e política, a representação de indivíduos à margem da sociedade, o corpo como meio de atualização de potências, além de aspectos identitários e de realidades urbanas.

Para marcar o lançamento de Outras fotografias na arte brasileira séc. XXI, que já chegou às principais livrarias do país, serão promovidos eventos em São Paulo, dia 25 de abril no espaço Pivô, e no Rio de Janeiro, dia 05 de maio, no Parque Lage (EAV). Nas duas ocasiões, haverá debate com artistas que participaram do livro.


LANÇAMENTOS

São Paulo (25/04/2015)
Pivô
Av. Ipiranga, 200

Rio de Janeiro (05/05/2015)
Parque Lage (EAV)
R. Jardim Botânico, 414

SERVIÇO DO LIVRO

Título: Outras fotografias na arte brasileira séc. XXI
Organização: Isabel Diegues
Textos de: Isabel Diegues, Júlia Rebouças, Luisa Duarte e Moacir dos Anjos
Número de páginas: 288
ISBN: 978-85-60965-68-7
Formato: 23,5 x 30 cm
Encadernação: Capa dura
Ano de edição: 2015
Preço de capa: R$ 168


SOBRE A EDITORA

Criada em 2008, a Editora Cobogó tem como foco a publicação de livros sobre arte e cultura contemporâneas. Lançou diversos títulos, dentre eles A filosofia de Andy Warhol, de Andy Warhol; Hans Ulrich Obrist – Entrevistas vols. 1 a 6; Popismo, os anos sessenta segundo Andy Warhol, e os panoramas Pintura Brasileira séc. XXI, Desdobramentos da Pintura Brasileira séc. XXI e Fotografia na Arte Brasileira séc. XXI. Várias monografias de artistas contemporâneos como Adriana Varejão, Erika Verzutti, Nuno Ramos, José Patrício, Efrain Almeida, Rivane Neuenschwander, Paulo Nazareth e Rodrigo Andrade também foram publicadas pela editora. Recentemente, a Cobogó lançou os livros Pérola imperfeita: A história e as histórias de Adriana Varejão, de Lilia Moritz Schwarcz e Adriana Varejão; Laura Lima ON_OFF, sobre a produção desta artista plástica; Histórias Mestiças, organizado por Lilia Moritz Schwarcz e Adriano Pedrosa;

Dia Mundial da Fotografia Pinhole

O XV Dia Mundial da Fotografia Pinhole (WPPD) será comemorado em todo o mundo no domingo 26 de abril de 2015.

pinhole day- alem do olhar
 
Todos são convidados a tirar uma foto com uma câmara pinhole, enviá-la para http://pinholeday.org e fazer parte da maior galeria de fotografia pinhole da Internet.

Centenas de eventos em todos os cantos do planeta serão organizados para promover esta prática fotográfica antiga mas cada vez mais popular. Voluntários entusiastas, em diversos países, irão organizar simpósios, reuniões e workshops para incentivar esta experiência fotográfica, iniciar novos seguidores e ajudar os novos artistas que surgem. Especial atenção será prestada a jovens e escolas. Apoio especial será dado a professores que o pedirem.

pinhole- alem do olhar

As câmaras pinhole não têm nenhuma lente e todas as fotos pinhole são tiradas simplesmente através de um pequeno orifício do tamanho de uma agulha. É muito divertido, educativo e criativo usar este tipo de câmaras que podem até mesmo ser feitas à mão com várias caixas ou latas. Qualquer recipiente à prova de luz é suficiente: desde caixas de chá a latas de tomate, de caixas de sapatos a caixas de madeira.

Um número crescente de pessoas mostram todos os anos maior interesse nesta prática emocionante da fotografia pinhole. Em 2001, 291 fotógrafos pinhole de 24 países participaram do WPPD e na exposição online. No ano passado foram 3.517 participantes de 70 países.

diferentes pinhole- alem do olhar

Cada vez mais fotógrafos se apercebem que com qualquer câmara pinhole na mão, seja qual for o nível de sua capacidade técnica, o mundo visto através do pequeno buraco dessa agulha é intemporal, silencioso, encantado; e o resultado fotográfico é mágico. A atmosfera suspensa e rarefeita que reina nas imagens sem lentes é o resultado de uma relação muito especial com o tempo: esta é a fotografia da paciência, da meditação, não há angústia para que uma foto 'saia mal'. As interferências fortuitas de um mundo que gira, como uma névoa ou uma intrusão inesperada de luz, são acidentes que os fotógrafos pinhole aceitam, mais, eles até agradecem como uma contribuição / oportunidade para a criação artística. Viva a imprecisão controlada, a filosofia do respeito pela ordem mundial!

WPPD decorre do trabalho entusiasta de dezenas de voluntários espalhados por todo o mundo. Os seus contributos são liderados por uma equipe de coordenação internacional: Tom Miller - EUA (Líder de Equipa), Nick Dvoracek - EUA (Suporte), Chuck Flagg - EUA (Educação), Lena Källberg - Suécia (Traduções), Gregg Kemp - EUA (webmaster) , Patrizia Di Siro - Itália (Publicidade), e Justin Quinnell - UK (Publicidade).

Mais informações e programa completo (constantemente atualizado) pode ser encontrado em http://pinholeday.org

Para mais informações entre em contacto com Patrizia ou Justin aqui: publicity@pinholeday.org.

Dia Mundial da Fotografia Pinhole - faça parte de algo enorme, (através de algo muito pequeno)

Cão dormindo- Pinhole digital- Márcio Neves
Cão dormindo- Pinhole digital- Márcio Neves

17 abril 2015

Maio é o mês da fotografia no MIS.


O Maio Fotografia no MIS chega a sua quarta edição e ocupa todos os espaços do Museu, com  exposições,  mostras, instalação, encontros, debates e exibição de filmes.


O Maio Fotografia no MIS chega a sua quarta edição e ocupa, pelo quarto ano consecutivo, todos os espaços do Museu, com uma programação que engloba quatro exposições principais, além de duas mostras, uma instalação, encontros, debates e exibição de filmes.

Se a linguagem fotográfica está cada vez mais aberta a novos olhares, a partir dos mais variados tipos de dispositivos − que vão de câmeras profissionais com lentes especiais a celulares com suas imagens em baixa resolução −, e percorre temas igualmente diversificados, é bastante apropriado que este mês voltado a sua exibição, discussão e reflexão abra ao público um leque de possibilidades de fruição. Essa é a ideia que permeia a curadoria geral da edição de 2015.

Nesta edição, o projeto apresenta as exposições: O mundo revelado de Vivian Maier, com curadoria de Anne Morin; Lambe-lambe: os fotógrafos de rua na São Paulo dos anos 70, elaborada a partir do acervo do MIS, com curadoria de Isabella Lenzi, e que celebra os 45 anos da criação do museu; Perto do rio tenho sete anos, do fotógrafo baiano André Gardenberg e com curadoria de Diógenes Moura e Rastros 1 (Traces1) do holandês brasileiro radicado em Paris Roberto Frankenberg.

Fruto de uma parceria do MIS com a FCB Brasil, A propaganda no tempo de Vivian Maier reúne cerca de sessenta anúncios e filmes comerciais de mais de vinte agências globais e locais em uma instalação interativa criada especialmente para o Espaço Redondo do Museu. Abrindo-se para a fotografia produzida por meio do celular, o movimento mObgraphia, criado em 2013, mostra o resultado do Festival e Prêmio mObgraphia 2015, além de uma mostra paralela com oito ensaios selecionados através de uma convocatória com o tema “A emoção das ruas”, expondo o olhar feminino no universo do cotidiano contemporâneo, e uma mostra com fotos de José Diniz. Igor Garbin, fotógrafo selecionado pelo Nova Fotografia 2015 ‒ programa que cria espaço para novos artistas ‒, apresenta uma São Paulo a partir de ângulos inusitados na série de vinte imagens intitulada Formas urbanas.

Complementa a programação o IV Encontro Pensamento e Reflexão na Fotografia, que visa estreitar os distintos campos de atuação do fazer fotográfico e promover cada vez mais o entendimento sobre a fotografia inserida em debates de conteúdo informativo e reflexivo. O evento acontece entre os dias 28 e 31 de maio, com uma programação composta por sessões de discussão, entrevistas e relatos autorais, além de workshops e apresentações de artigos inscritos por meio de convocatória.

Sobre o projeto
Criado em 2012, sob a gestão de André Sturm, o projeto Maio Fotografia no MIS dedica o mês de maio à fotografia, com todos os espaços do Museu tomados por exposições, seminários e oficinas. Em suas três edições figuraram importantes artistas, nacionais e internacionais como André Kertész, Andy Warhol, Claudio Edinger, Willy Ronnis, Carlos Eber, Gregory Crewdson, Josef Koudelka e Valdir Cruz.


exposição / fotografia / grupo de estudos
Museu da Imagem e do Som de São Paulo - MIS 
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo - SP, Brasil.
de 21 de abril a 14 de junho de 2015
terças a sábado, das 12h às 21h; domingos e feriados, das 11h às 20h
Exposições | R$ 6 e R$ 3 (meia)
Às terças o ingresso para as exposições é gratuito

16 abril 2015

Biblioteca Nacional e Instituto Moreira Salles lançam portal de fotos históricas

Portal contará com fotos históricas do Brasil, digitalizadas em alta resolução que poderão ser consultadas gratuitamente.

Foto do Imperador D. Pedro II na Brasiliana Fotográfica.

A Fundação Biblioteca Nacional (FBN) e o Instituto Moreira Salles (IMS) lançam nesta sexta-feira (17/4), às 11h, no auditório da FBN, o Portal Brasiliana Fotográfica. Contribuindo para a preservação do patrimônio fotográfico digital brasileiro, o portal contará com mais de duas mil fotos históricas do século XIX e início do século XX.

Segundo o presidente da FBN, Renato Lessa, o portal tem por objetivo ser um espaço para preservação desses acervos, ao mesmo tempo em que fomenta a discussão sobre o uso desse tipo de fonte primária para pesquisas. “A Biblioteca Nacional já possui parte de seu acervo digitalizado; com esse projeto pretendemos aumentar ainda mais o alcance de nossas obras”, destaca.


Durante o evento de lançamento, o presidente da FBN e o superintendente executivo do IMS, Flávio Pinheiro, assinarão o Acordo de Cooperação Técnica que dará início ao projeto. A princípio, estarão disponíveis fotos da Biblioteca Nacional e do Instituto Moreira Salles, mas outras instituições – do Brasil e do exterior, públicas ou privadas – poderão aderir ao portal.

A maior parte das fotos mostra paisagens urbanas e rurais, ruas, praças e edificações em geral, de Norte a Sul do país, mas a sociedade brasileira também marca presença a partir dos retratos de índios, da família imperial e de moradores da cidade e do campo. Os curadores do projeto são Joaquim Marçal, da FBN, e Sergio Burgi, do IMS.


ACERVO

As fotos da coleção D. Thereza Christina Maria, colecionadas por D. Pedro II, estão entre os destaques do portal, além de um conjunto de retratos da família imperial, feitos por Joaquim Insley Pacheco. O professor de fotografia da princesa Isabel, Revert Henry Klumb, também está representado com a série completa de estereogramas (fotografia estereoscópica, 3D) com imagens gerais da cidade do Rio de Janeiro e do palácio imperial em Petrópolis.

Segundo o curador da Biblioteca Nacional, outras imagens raras são retratos médicos que podem ter sido feitas para um ortopedista e fotos das vítimas da seca do Ceará de 1877-78, tiradas por José do Patrocínio e publicadas em uma reportagem de 1888 no jornal O Besouro. “A partir do portal é possível entrar no túnel do tempo e conhecer um pouco mais sobre a história do Brasil”, destaca Marçal.


Uma vez cadastrados no portal, os usuários poderão selecionar suas fotos preferidas e compartilhá-las em redes sociais. A cada semana, novas galerias de imagens serão destacadas e os curadores do portal desenvolverão comentários e reflexões sobre as fotografias escolhidas.

As fotos foram digitalizadas em alta resolução e poderão ser vistas com uma ferramenta de zoom. A consulta gratuita estará disponível por tema, período ou autoria.

Fonte: Fundação Biblioteca Nacional 

Exposição: Horizonte Generoso - uma experiência no Pará

Arte paraense  ocupa galeria carioca nos meses de abril e maio.

Foto: Guy Veloso

Luciana Caravello Arte Contemporânea apresenta, entre 20 de abril e 16 de maio, a exposição "Horizonte Generoso - uma experiência no Pará", com curadoria de Bernardo Mosqueira. A mostra faz parte do projeto da galeria de mostrar anualmente um recorte da produção atual de um estado brasileiro fora do Sudeste. Alberto Bitar, Alexandre Sequeira, Armando Queiroz, Elza Lima, Keyla Sobral, Luiz Braga, Orlando Maneschy e Guy Veloso são os artistas que representam a arte paraense nesta mostra.

Segundo Luciana Caravello, o Pará foi escolhido porque, apesar da pouca visibilidade e da distância, os artistas da cidade tem trabalhos cada vez mais únicos e fortes e, por isso, estão se destacando no mercado de arte, com obras reconhecidas em exposições nacionais e internacionais.

O curador explica que a mostra não tem a pretensão ser um retrato definitivo da produção de arte no Pará, pois essa é de fato muito abundante e complexa. “Horizonte Generoso” é o resultado de uma experiência pessoal de pesquisa e estadia. O curador foi a Belém depois de fazer sua pesquisa à distância. “A exposição parte da história de uma viagem de um pesquisador pela cidade, encontrando seus artistas, suas instituições, suas questões, pesquisas e, com isso, encontrando recorrências, interesses comuns, ritmos, ressonâncias”.

“Podemos dizer que a relação com o mágico ou espiritual, o amor, a relação do povo com natureza, e a violência no campo e na cidade são quatro assuntos importantes dessa exposição”, explica Bernardo.


Horizonte Generoso - uma experiência no Pará
Galeria Luciana Caravello Arte Contemporânea
Rua Barão de Jaguaripe, 387 – Ipanema- Rio de Janeiro, RJ
Abertura: 18/04 - 15h às 18h
Exposição: de 20/04 a 16/05
Horário de visitação: 2ª a 6ª de 10hs às 19hs- Sábado de 11hs às 14hs

08 abril 2015

Exposição: Geraldo de Barros e a fotografia

Desenvolvida em parceria com o Instituto Moreira Salles, a exposição resgata aspectos históricos e o caráter experimental da obra fotográfica do artista.


Resultado de parceria entre o Instituto Moreira Salles e o Sesc São Paulo, o projeto Geraldo de Barros e a fotografia envolve livro e exposição homônimos que abordam a relação de um dos mais importantes artistas do movimento concretista brasileiro, o fotógrafo, designer e pintor brasileiro Geraldo de Barros (1923-1998). Heloisa Espada assina a curadoria da exposição e a organização do volume, que será lançado na abertura da exposição.

O livro e a exposição de Geraldo de Barros estão organizados em três núcleos que correspondem aos momentos-chave em que o artista trabalhou de forma direta ou indireta com a imagem fotográfica. A curadora Heloisa Espada fala um pouco sobre os três núcleos da exposição e o que o público irá encontrar por lá. Dividiremos aqui por núcleos pra ajudar você a se localizar quando visitar a exposição.

O primeiro núcleo diz respeito à relação controversa de Barros com o Foto Cine Clube Bandeirante (considerado o principal berço da fotografia moderna no Brasil) e à sua primeira exposição fotográfica, Fotoformas, realizada no MASP em 1951. A primeira sala da exposição no Sesc Belenzinho traz documentos fotográficos, notícias e críticas da época, lado a lado às diversas experimentações fotográficas produzidas por Barros. Para que o público possa compreender o processo criativo do artista, também são expostos exemplos de negativos riscados, bem como folhas de contatos originais que evidenciam as diferentes formas de intervenção feitas na fotografia.


“A exposição começa com o foco na exposição que ele fez com um caráter histórico. Acredita-se que esta exposição de 1951, seja a segunda exposição de fotografia num museu brasileiro, nesse momento que foram criados esses museus de arte final dos anos 40.  Eu quis destacar essa exposição para o público ver logo que o Geraldo apresentou suas fotografias de um jeito muito diferente. Como objetos, coladas, em  suportes como se fossem pequenas esculturas, ou compondo num painel vazado com áreas em preto. A  fotografia compondo com suporte que ficava suspenso num cano que havia sido projetado pela Lina Bo Bardi pra essa sala de pequenas exposições temporárias do MASP. Então ali tem muitos dados sobre  como a fotografia se apresentou no museu nesse início dos anos 50 no Brasil. Eu acho que a gente se aproxima do modo do artista pensar a obra no momento em que ela  foi feita.

Nesse primeiro núcleo também, o público vai se deparar com a fotografia sempre ao lado da gravura e do desenho e um pouco da pintura do Geraldo, pra gente ver que no fundo ele fotografou aquilo que ele estava pintando, ele passou a fotografar aquilo que já era objeto de interesse dele através da pintura. Tem uma foto que eu gosto muito, que é um dos destaques da exposição que é uma foto que ele fez num ateliê de pintura, um dos primeiros que ele frequentou, onde aparece a sombra dos pincéis e os instrumentos de pintura e gravura. Quer dizer, é  a fotografia como uma sombra, ou a consequência da atividade dele como pintor”.

Pinturas e Pop Art


O segundo núcleo oferece uma abordagem pioneira da relação de Barros com a fotografia por meio da pintura, dedicando-se às pinturas desenvolvidas pelo artista sobre fragmentos de outdoors publicitários nos anos 1960 e 1970, quando ele se apropriou de imagens fotográficas para destacar o aspecto grotesco e invasivo da propaganda e explicitar uma atitude irônica e sarcástica diante da cultura de massa.

“Neste núcleo, as pessoas vão ver pinturas pops enormes. É a primeira vez que a gente reúne desde os anos 70, uma sala com essas pinturas pops, que represente bem este período do Geraldo que é um período que tem sido pouco visto da carreira dele”, complementa Heloisa Espada.

Sobras e os últimos anos de Geraldo


O terceiro núcleo concentra-se na inédita série Sobras, produzida durante os dois últimos anos da vida de Geraldo de Barros, quando ele se encontrava parcialmente paralisado devido a uma série de isquemias cerebrais que vinha sofrendo desde os anos 1970. Após anos afastado da fotografia, Barros debruçou-se sobre seu arquivo de fotos de família e, com a ajuda da assistente Ana Moraes, cortou, riscou e montou pequenos fragmentos de negativos 35 mm sobre placas de vidros, resultando na obra mais intimista de sua carreira.

 “Esse núcleo mostra a liberdade total e desprendimento de qualquer regra, qualquer tipo de formato do que pudesse ser arte. Aí de fato ele tem uma liberdade grande para colar, montar. Mas o que é mais forte neste núcleo das sobras, é o fato de ser a primeira vez que nós que conseguimos ver o conjunto quase completo de 247 colagens para produzir as sobras. Colagens super delicadas, feitas sobre plaquinhas de vidro, super artesanal que ele fez num momento que já estava doente, perdeu sua habilidade manual e fez com a ajuda de sua assistente”, conclui.

Sesc em Obras: Geraldo de Barros

A linha de produtos Sesc em Obras, composta de produtos criados a partir do acervo de arte brasileira do Sesc em São Paulo e disponível somente nas Lojas Sesc das unidades, ganha novos itens produzidos a partir do emblemático logotipo criado por Barros para identificar seu trabalho como designer e serão lançados no dia da abertura da exposição.

Heloisa Espada
Coordenadora da área de artes visuais do Instituto Moreira Salles, possui graduação em Educação Artística (1997) pela Universidade do Estado de Santa Catarina, Mestrado (2006) e Doutorado (2011) em História, Teoria e Crítica da Arte pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Em 2007 e 2008, foi pesquisadora do projeto Documents of 20th Century Latin America and Latino Art, um convênio entre o Museum of Fine Arts, Houston, e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. É membro do grupo de estudos do Centro de Pesquisa Arte & Fotografia da ECA/USP desde 2004. Atua nas áreas de história da arte, crítica e curadoria, com ênfase nos campos da arte moderna e do pós-guerra no Brasil.


Fonte: Sesc- São Paulo

Exposição Geraldo de Barros e a Fotografia
8 de abril a 31 de maio - De terça a sábado das 10h às 21h | Domingo das 10h às 19h30
Sesc Belenzinho | Rua Padre Adelino, 1.000, Belenzinho | 11 2076-9700
ingressos: Grátis. 

07 abril 2015

Exposição: "Menino de ouro".

Imagens captadas no Tibet pelo diretor da O2 Filmes, Renato Amoroso, serão exibidas em São Paulo. 



A partir de 8 de abril (quarta-feira), a Praça Victor Civita recebe, no primeiro piso do Prédio do Incinerador, a mostra fotográfica “Menino de Ouro”. Trata-se de uma exposição - com acesso gratuito ao público - que reúne as imagens captadas pelas lentes do diretor de filmes da O2, Renato Amoroso, no segundo semestre de 2014 e fruto de um trabalho de imersão na cultura e nos costumes e personagens tibetanos.



A ideia da mostra surgiu após Amoroso ter sido convidado para participar da entronização de um jovem mestre budista de apenas 6 anos de idade. “Este evento era muito raro e especial. As pessoas que encontrei me chamaram muito a atenção. Em função da cerimônia, todas se vestiam de uma maneira muito particular, colorida e com combinações bastante improváveis. Além do mais, a maneira como eles se colocam em frente à câmera não é muito fácil de encontrar em outros países. A combinação dessa atitude com esse estilo dos personagens gerou fotos muito interessantes”, adianta o autor das imagens, que voltou para o Brasil com cerca de 3 mil fotos na bagagem.

Este rico material foi apresentado à revista National Geographic, maior referência mundial de fotos documentais, que dedicará 18 páginas de sua edição de abril ao trabalho de Amoroso. A exposição pode ser conferida pelo público até 26 de abril.





Exposição: "Menino de ouro".
Data: 8 a 26 de abril
Horário: 8h às 18h
Local: 1º piso do Prédio do Incinerador, na Praça Victor Civita
Rua Sumidouro, 580 – Pinheiros
Ingresso: gratuito; não é necessário retirar ingressos com antecedência
Outras informações: (11) 3031-3689 ou www.pracavictorcivita.org.br

30 março 2015

Goiânia recebe a 4ª edição do PhotoWeek.

Goiânia (GO) vai sediar evento que reúne profissionais da fotografia e do vídeo atuantes no Brasil.


De 27 a 31 de julho, Goiânia (GO) vai sediar a 4ª edição do PhotoWeek – evento que reúne profissionais da fotografia e do vídeo que atuam no Brasil. Além de atualizar conhecimentos e promover a troca de experiências, a proposta é valorizar a fotografia e o mercado.

Na edição de Goiânia, o evento será composto por cinco núcleos de atividades, entre eles: Congresso de Fotografia, Congresso de Vídeo Social, Workshops, Concurso Fotográfico e Feira de Negócios, tudo realizado em um mesmo local, no prédio da CDL – Câmara de Dirigentes Lojistas de Goiânia.

Com promoção da Photo&Mídia, a semana da fotografia vai abordar o que há de mais moderno e atual no segmento, levando a capital goiana os melhores profissionais da área. Uma das características mais especiais é a sua dinâmica organizacional: uma semana intensa dedicada à fotografia, com apresentação de cursos em formatos de congressos e workshops, além da Feira de Negócios que traz diversas empresas da indústria fotográfica.

Pela sua estrutura, qualidade de conteúdo, plano de abrangência entre outras qualidades, a PhotoWeek se destaca em todo país como um dos maiores eventos culturais do segmento fotográfico profissional. Em sua última edição na cidade de Uberlândia (MG) em Janeiro de 2015, a PhotoWeek se consagrou reunindo mais de 1.100 inscrições em suas atividades.


PROGRAMAÇÃO DO CONGRESSO DE FOTOGRAFIA

Auditório da CDL Goiânia, Piso 1 – Rua 08 com Rua 09, 626, Setor Oeste

SEGUNDA-FEIRA | 27/07 | DIA DO MARKETING
$tudio Pitbull – Administração e Marketing Lucrativos Para Estúdios
Instrutor: Wender Prado – Diretor da Photo&Midia – Uberlândia (MG)
Horário: 13h às 15h
Marketing Digital Para Fotógrafos
Instrutor: Gabriel de Faria – Fotógrafo e Programador – Sorocaba (SP)
Horário: 15h30 às 18h
Fine Art na Fotografia: Quando, Como e Por Quê Usar
Instrutor: Marco Aurélio – Diretor da Tetto Fine Art – Goiânia (GO)
Horário: 18h30 às 20h

TERÇA-FEIRA | DIA 28/07 | DIA DO ESTÚDIO
Newborn Completo
Instrutora: Gisele Fap – Fotógrafa Profissional – São Caetano do Sul (SP)
Horário: 9h às 12h
Retrato Contemporâneo
Instrutora: Dani Bertolucci – Fotógrafa Profissional – Rio de Janeiro (RJ)
Horário: 14h às 16h
Criatividade Sem Limites em Ensaios com Pessoas Comuns
Instrutor: Junior Luz – Fotógrafo Profissional – Florianópolis (SC)
Horário: 17h às 19h

QUARTA-FEIRA | DIA 29/07 | DIA DO CASAMENTO
Aguarde divulgação em Abril
Instrutor: Aguarde...
Horário: 9h às 12h
Luzes Alternativas no Casamento
Instrutor: Erich Gebhardt – Fotógrafo Profissional – Uberlândia (MG)
Horário: 14h às 16h
Profissão Fotógrafo de Casamento
Instrutor: Eduardo Perazzoli – Fotógrafo Profissional – Ji-Paraná (RO)
Horário: 17h às 19h

PROGRAMAÇÃO DO CONGRESSO DE VÍDEO SOCIAL
30 DE JULHO
Auditório da CDL Goiânia, Piso 1 – Rua 08 com Rua 09, 626, Setor Oeste
Do Curta ao Longa
Instrutor: Pepê Figueroa – Videomaker Profissional – Rio de Janeiro (RJ)
Horário: 09h às 12h

Direção Cinematográfica
Aplicada: A Mise En Scene
Instrutor: Toni Martin Giles – Brasília (DF)
Horário: 13h30 às 16h

Vídeo Social
Instrutor: Aguarde divulgação em Abril
Horário: 16h30 às 19h
PROGRAMAÇÃO DA FEIRA DE NEGÓCIOS | 28 E 29 DE JULHO
CDL Goiânia | Piso 1 e 2 | Rua 08 c/ Rua 09, 626, Setor Oeste

Espaço destinado a apresentação e comercialização de diversos produtos e serviços da indústria fotográfica. São 16 estandes em exposição para visitação de profissionais e simpatizantes da fotografia.

Horário: 10h às 20h (aberto ao público por meio de cadastramento antecipado)
http://www.photoweekgoiania.com.br/#!feira/c478
 
PROGRAMAÇÃO DOS WORKSHOPS

30 E 31 DE JULHO
CDL Goiânia | Subsolo | Rua 08 c/ Rua 09, 626, Setor Oeste

QUINTA-FEIRA | DIA 30/07
Aguarde divulgação em Abril
Instrutor: Aguarde...
Manhã: 9h às 12h
Tarde: 14h às 18h
Noite: 19h às 22hs

QUINTA-FEIRA | DIA 30/07
Desvendando as Maquiagens das Famosas
Instrutor: Fabiana Miranda – Make Hair Stylist Profissional – São Paulo (SP)
Manhã: 09:00hs às 12:00hs
Tarde: 14:00hs às 18:00hs

SEXTA-FEIRA | DIA 31/07
Lightroom Para Fotógrafos
Instrutor: Wender Prado – Diretor da Photo&Midia – Uberlândia (MG)
Manhã: 9h às 12h
Tarde: 14h às 18h

SEXTA-FEIRA | DIA 31/07
Fotografia Inicial
Instrutor: Mauro Marques – Fotógrafo Profissional – Uberlândia (MG)
Manhã: 9h às 12h
Tarde: 14h às 18h

PROGRAMAÇÃO DO CONCURSO FOTOGRÁFICO
Exposição Física 28, 29 e 30 de Julho
CDL Goiânia | Piso 2 | Rua 08 c/ Rua 09, 626, Setor Oeste
Este concurso será lançado somente no mês de Abril.

Conheça o site da Photo&Midia -www.PhotoeMidia.com.br


 
Copyright © 2014 Alem do Olhar - Fotografia. - Powered by Blogger - Traduzido Por: - Templates Para Blogspot
Design by FBTemplates | BTT