11 julho 2017

Interfoto Itu 2017

Festival de fotografia chega a sua 4ª edição com workshops práticos e muita fotografia boa. 

Idealizado pelo fotógrafo Flávio Torres, com o apoio da ARFOC-SP (Associação de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos do Estado de São Paulo), o Interfoto teve sua primeira edição, realizada entre 22 e 30 de agosto de 2014.

O InterFoto que em 2017 está em sua quarta edição tem como missão expandir o diálogo da produção fotográfica brasileira em um grande pólo comercial e cultural, o interior paulista.

Um dos destaques do evento deste ano é o início das comemorações dos 50 anos de carreira do fotógrafo brasileiro Araquém Alcantara com uma grande exposição de suas obras.

O Festival acontece entre os dias 12 e 16 de julho na charmosa cidade de Itu-SP, localizada a 90 km da capital paulista, os eventos estarão espalhados pela cidades, mas as principais atividades se concentram na Fábrica São Luiz, que funcionou por 100 anos, se tornando após seu tombamento pelo Patrimônio Histórico, em um grande complexo cultural e turístico para eventos e encontros.

A programação oficial do evento conta com 17 exposições, além de 16 eventos diversosentre palestras, oficinas, workshops, bate papos e muito mais. O principal dia do festival acontecerá no sábado dia 15 de julho, onde a organização concentrou 9 eventos.


Entre os nomes participantes do evento estão: Sergio Roberg, Paula Pedrosa, Bella Tozini, Filipe Britto, Rodrigo Zugaib, João Rosa, Carlos Nascimento, Fotografos Saltenses, Varalizando, Alexandre Keese, Renata Guarnieri, Estefania Gavina, Edeson Souza, Grupo Imagem, Carlos Rincón, Érico Hiller, Ivam Grambeck, Paulo Kawall, Ana Almeida, Foto Clube Bulb f/22, Marcos Araújo, Paulo Frederico.

Festival Intrerfoto Itu 2017

Fábrica São Luiz

Endereço: Rua Paula Souza, 492  - Centro, Itu (SP)

Veja a programação completa no site oficial do evento

De 12 a 16 de julho, no eixo histórico da cidade de ITU/SP

Abertura dia 12 de julho Quarta, as 19h00 Local: Fábrica São Luiz

Fonte: Interfoto Itu


30 junho 2017

Exposição: Elliott Erwitt- Vida de Cão

Exposição do melhor fotógrafo do melhor amigo do homem, chega em São Paulo.


Elliott Erwitt é um dos grandes nomes da fotografia documental. Sua principal característica é um olhar criativo carregado de ironia que se reflete em suas fotografias.

Filho de emigrantes russos, ele nasceu em Paris em 1928, viveu os primeiros dez anos na Itália e depois, a partir de 1941, passou a morar nos EUA. Formou-se em cinema em Los Angeles e, em 1953, começou a trabalhar na agência Magnum, convidado por um dos fundadores, o húngaro Robert Capa.

"Trata-se de reagir ao que você vê, espero que sem preconceitos. Você pode encontrar imagens em qualquer lugar. É simplesmente uma questão de perceber as coisas e organizá-las. Você só precisa se preocupar com o que está à sua volta e tem uma preocupação com a humanidade e a comédia humana" - Elliott Erwitt


Elliott Erwitt é um observador do cotidiano, neste universo das situações mais simples do dia a dia um de seus temas favoritos é o mundo canino, os cachorros permanecem uma constante fonte de inspiração desde a sua primeira fotografia relacionada a esse assunto, em 1946.

A exposição que chega a São Paulo, tem curadoria de João Kulcsár e conta com 50 fotografias em preto e branco realizadas em diversos países - inclusive o Brasil - entre os anos de 1946 e 2004, ele mostra como nosso relacionamento com estes animais tem raízes na semelhança mútua e na emoção. As afinidades que temos com o ‘melhor amigo do homem’ são apresentadas de modo afetuoso e engraçado, mas ao mesmo tempo estético e crítico das nossas relações.

"Suas imagens são permeadas de elementos autobiográficos e representam o que ele é diariamente: uma pessoa irônica e bem-humorada, que atende à condição humana com um olhar compassivo. Esta mostra não é sobre cachorros, é sobre nossa coexistência - como nos relacionamos, vivemos, sofremos e amamos o nosso semelhante e a nós mesmos; sentimentos esses evocados em suas imagens que se criam atemporais." - João Kulcsár - curador


Exposição: Elliott Erwitt- Vida de Cão

Galeria de Fotos do Centro Cultural Fiesp
Av. Paulista, 1.313
de 04 de julho a 24 de setembro de 2017
diariamente, das 10h às 20h (com entrada permitida até 19h40)
Gratuito.

Fonte: SESI-SPMagnum Photos

22 maio 2017

Exposição: Foto Retrospectiva 2016

12ª edição Mostra anual de fotojornalismo realizada pela Arfoc-SP em cartaz até 09 de junho. 



Mostra anual de fotojornalismo realizada pela Arfoc-SP expõe recorte dos principais fatos de 2016 fazendo um resumo visual da poesia ao caos em 80 imagens

O Projeto comemora sua 12ª edição e segue firme no propósito de fazer documentação, além de deixar sua marca na fotografia contemporânea retratando os olhares de uma geração. As exposições fotográficas que fazem parte integrante do projeto FOTO RETROSPECTIVA, que vem sendo desenvolvido desde 2000, fazem uma compilação dos principais fatos deste começo de século. A proposta é realizar exposições fotográficas anuais, que documentem fatos marcantes, históricos, inesquecíveis ou cotidianos, mas que fazem parte da nossa história recente.

Este ano a curadoria ficou a cargo do jornalista, fotógrafo e cineasta João Wainer e um dos pioneiros da fotografia modernista no Brasil German Lorca, que aos 95 anos, teve uma participação pra lá de especial. De estilos e gerações distintas, através de ambos fotógrafos podemos ver as sutilezas e escrachos de um ano no mínimo improvável: protestos, impeachment, microcefalia, jogos olímpicos, Tom Zé e Rolling Stones compõe o mosaico do que foi 2016, para nos lembrar (para sempre!) que #somostodoschape.

Cada vez mais avançamos na busca de inovações com o intuito de elevar o nível da informação e propor uma nova estética ao fotojornalismo moderno. Assim pretendemos produzir uma exposição fotográfica que possa ser um instrumento de reflexão do país, da sociedade e de cada um de nós.

Realização: Arfoc-SP- Associação de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos no Estado de SP.

FOTO RETROSPECTIVA 2016 

Local: Saguão do Conjunto Nacional
Endereço: Av. Paulista, 2073 – Consolação
Data: de 23 de maio de 2017 a 09 de junho de 2017
Curadoria: João Wainer e German Lorca
Fotógrafos participantes :


19 maio 2017

Exposição coletiva “Caminhos da Arte"

Imagens realizadas por alunos do curso de fotografia oferecido pelo projeto Caminhos da Arte

Foto de Gleice Kelly Barbosa – Aluna participante do projeto 

O fotógrafo Daniel Kfouri e os 25 jovens do Parque Vila Maria, zona norte de São Paulo, que participaram do curso de introdução à fotografia oferecido pelo projeto Caminhos da Arte, da Aymberê Produções Artísticas, dão vida à exposição coletiva “Caminhos da Arte: Fotografia - Edição Daniel Kfouri”. A mostra fica em cartaz na Casa de Cultura da Vila Guilherme – Casarão, entre 20 de maio e 1º de julho, com visitação de terça a sexta, das 10h às 20h, e aos sábados, das 10h às 18h. A entrada é gratuita.

A exposição reúne imagens que revelam os olhares atentos dos jovens ao instante, aos movimentos, às linhas, às formas, às cores e à descoberta dos espaços e de seus habitantes (humanos ou não), com temas que variam entre o documental e o imaginado.

Os fotógrafos iniciantes exploraram vários elementos presentes nas obras dos artistas que estudaram ao longo do curso, como as cores intensas de Frida Kahlo; o desvirtuamento da escala dos objetos, os jogos com a geometria e o reflexo de Daniel Kfouri; as descobertas reais e surreais de Tuca Vieira; e a urbe geométrica, cheia de vazios, de Felipe Russo.

A ideia da mostra coletiva é retratar os contrastes de uma cidade improvável, que é ao mesmo tempo urbana e rural, animal e humana, banal e inesperada. As fotos foram captadas dentro da sede da Viação Cometa, empresa patrocinadora do projeto, nas ruas do Parque Vila Maria e no Parque Ibirapuera.

Ministrado por Patricia Marchesoni, Ricardo Rios e André Spinola e Castro, o curso contou com aulas práticas e expositivas, que aconteceram entre agosto e novembro de 2016, e tinham a missão de aproximar os jovens ao universo da fotografia.

Os alunos aprenderam a construir câmeras primitivas (pinhole) e técnicas de fotografia digital. Ainda durante o curso, Kfouri foi até a escola EMEF General Paulo Carneiro Thomaz Alves e conduziu uma conversa com os estudantes sobre suas obras e carreira, que terminou em uma saída fotográfica.



Sobre o projeto Caminhos da Arte


Concebido pela Aymberê Produções Artísticas, o projeto Caminhos da Arte tem a proposta de aproximar a arte do cotidiano dos jovens e mostrar que a experiência sensorial e estética também pode ocorrer fora das galerias conceituais. A primeira edição contou com uma exibição individual do fotógrafo Daniel Kfouri, o curso de Introdução à Fotografia, visitas à exposições e uma atividade formação de professores.


Os Participantes


Daniel Kfouri - Artista Convidado
Começou a fotografar em 2001, após trabalhar por seis anos como designer gráfico para revistas e sites. Como fotógrafo, trabalhou para revistas da Editora Abril, Folha de S. Paulo, The New York Times, agências de notícias internacionais e Nike Global. Vencedor de três prêmios internacionais de fotografia, 1º lugar no Grand Prix Photo Saint-Tropez 2016, na categoria Grand Prix Canon; além do 2º lugar no Picture oftheYearLatinAmerica 2011 e 3º lugar no World Press Photo 2010, ambos na categoria de esportes, teve seu trabalho exposto em diversas galerias e centros culturais do Brasil e exterior. Entre suas mostras individuais estão “Heróis” (2015), exposta na DOC Galeria, em São Paulo, e no Museu de Sant’Ana, durante o 5º Festival de Fotografia de Tiradentes, em Minas Gerais, e a exposição “Não Para” (2013), no Sesc Ceilândia, em Brasília. O esporte é tema recorrente em sua produção, tendo produzido uma série sobre o futebol de várzea. Porém, a temática do seu trabalho é mais ampla, podendo ser situada em uma zona de fronteira entre arte visual e vida social, pois se realiza em imersões de ordem documental, em caminhadas onde o olhar fotográfico do artista encontra sintonia com os acontecimentos do mundo. Mais informações em http://danielkfouri.photoshelter.com

PatriciaMarchesoniQuillici – arte-educadora

André Spínola e Castro – fotógrafo, criador e professor da escola de fotografia Rever

Ricardo Rios – fotógrafo e professor de fotografia da escola Rever

Sobre a Aymberê Produções Artísticas


Graduada em Relações Públicas pela USP SP, com pós-graduação em Administração para o Terceiro Setor e Gestão Cultural, Patricia Souza Ceschi trabalha com produção cultural há mais de 15 anos. Em 2010, juntamente com o artista plástico Breno Menezes, fundou a Aymberê Produções Artísticas Ltda, aonde vem se dedicando à produção e criação de trabalhos artísticos nacionais e internacionais em diversas linguagens. Mais informações em http://www.aymbere.com.br/


Exposição “Caminhos da Arte :: Fotografia - Edição Daniel Kfouri”

Quando: 20 de maio a 1º de julho
Abertura: 20 de maio, às 15h
Visitação: De terça a sexta, das 10h às 20h, e aos sábados, das 10h às 18h
Onde: Casa de Cultura da Vila Guilherme – Casarão
Praça Oscar da Silva, 110 - Vila Guilherme, São Paulo
Entrada: Gratuita

Exposição: Antilogias- o fotográfico na Pinacoteca

A Pinacoteca de São Paulo faz mostra do seu acervo fotográfico.


A partir de 20 de maio, a Pinacoteca de São Paulo, inaugura a exposição ‘Antilogias: o fotográfico na Pinacoteca’. Com curadoria de Mariano Klautau Filho e participação de Pedro Nery, curador adjunto. Patrocinada pelo Banco Haitong no Brasil, a mostra, que reúne cerca de 250 obras de 60 artistas, tem como eixo o acervo da Pinacoteca e pretende discutir o meio fotográfico para composição e produção de imagens e objetos, em suas diversas possibilidades, narrativas e suportes.

“A intenção é colocar em diálogo obras que, de um lado, possam contar alguns percursos da história do acervo fotográfico e o seu desenvolvimento, e de outro, propor uma abordagem sem cronologias sobre a produção contemporânea apoiada na relação entre as poéticas”, explica Klautau.

Além das obras do acervo da Pinacoteca, compõem a mostra trabalhos de artistas do Rio Grande do Sul, Pernambuco, Pará e São Paulo, convidados pelo curador. “São artistas de diversas gerações que reunidos na exposição ampliam as questões apresentadas pelo próprio acervo da instituição, o que torna a mostra um exercício de leitura sobre a coleção fotográfica da Pinacoteca, completa Klautau.


Antilogias: O fotográfico na Pinacoteca 

Em cartaz até 7 de agosto de 2017,
No primeiro andar da Pina Luz – Praça da Luz, 02.
A visitação é aberta de quarta a segunda-feira, das 10h00 às 17h30
Ingresso R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia). Crianças com menos de 10 e adultos com mais de 60 anos não pagam. Aos sábados a entrada é gratuita para todos os visitantes.
A Pina Estação fica próxima à estação Luz da CPTM. pinacoteca.org.br 


Mais sobre Mariano Klautau Filho
Artista, pesquisador em arte e fotografia e curador independente. Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC/SP e Doutor em Artes Visuais pela ECA/USP. Professor do Programa de Pós-Graduação “Comunicação, Linguagens e Cultura” da Universidade da Amazônia em Belém. Curador do “Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia”. Possui obras nos acervos do Museu de Arte Moderna de São Paulo, Museu de Fotografia da Cidade de Curitiba, Coleção Joaquim Paiva – RJ, Coleção Pirelli/MASP – SP, Museu do Estado do Pará – Belém e MAR – Museu de Arte do Rio – RJ.

17 maio 2017

6º Workshop de Fotografia de Rua da Fullframe

Fotógrafos de rua saem em busca do “Instante Decisivo” com a Fullframe


Acontece esta semana o 6º Workshop de Fotografia de Rua da Fullframe, um evento gratuito, que resulta em exposição e fotolivro sobre o tema. Trabalhando a tão cultuada Fotografia de Rua já há alguns anos, a escola aproveita para homenagear nesta edição o mestre do gênero, Henri Cartier-Bresson, que tem exposição inédita em cartaz em São Paulo.

Após a palestra, já com vagas esgotadas, nas 3 unidades da Fullframe nesta quinta-feira, haverá uma saída fotográfica no próximo domingo, 21 de maio, e posterior concurso, abertos a quem quiser participar. As 35 fotos escolhidas pela curadoria da Fullframe participam da exposição e fotolivro, com lançamento marcado para Julho.

Para este concurso, estão sendo propostos dois temas: “Momento Decisivo” e “Ordem Visual”.
O trajeto da saída fotográfica vai se estender desde a Avenida Paulista, adentrar a Vila Madalena e finalizar no fim da tarde na Praça do Pôr-do-Sol. Um prato cheio para quem quer sair pelas ruas paulistanas caçando imagens .

Para se inscrever e receber o regulamento, envie email para fotografiaderua@fullframe.com.br. Acompanhe em @fullframe_escola e #fullframerua.

11 abril 2017

Fotógrafos brasileiros no Festival de Fotografia de Amã

Festival de fotografia na Jordânia recebe novos fotógrafos do Projeto “Love Letter from Brazil to Iraq”


24 fotógrafos brasileiros estão participando de uma exposição coletiva no Festival de Fotografia de Amã, na Jordânia. O projeto “Love Letter from Brazil to Iraq - 2017”, com organização do fotógrafo e professor da Escola Panamericana Renato Negrão e do curador Iraquiano Abo All Hassan, foi escolhido pela organização do festival para a exposição.

O objetivo é montar várias exposições, com fotógrafos e imagens diferentes, unindo o trabalho de brasileiros e iraquianos. Ano passado a exposição, com outros nomes da fotografia brasileira aconteceu no Brasil, Iraque e Jordânia.


Para esta nova versão do projeto é a primeira vez que as fotos são vistas. Esta mesma exposição ainda irá para Brasília, São Paulo e Iraque.

Em Amã, as fotografias estão expostas no “The Duke Designr Center”, no centro da cidade e fica até o fim do festival, que acontece durante todo o mês de abril.


A organizadora do evento, Linda Al Khoury é uma ativista das artes na Jordânia. No segundo ano a frente deste grande encontro entre fotógrafos. Ela gostou da ideia de mostrar uma exposição que une fotógrafos brasileiros e iraquianos, pois a Jordânia é o país com maior número de iraquianos, fora do Iraque.

O Tema do Festival deste ano é “Identidade” e conta com a participação de fotógrafos de outros países do Oriente Médio, da Europa e dos Estados Unidos.

As imagens dos brasileiros foram todas realizadas no Brasil e mostram cenas que pretendem levar uma mensagem boa para o público, uma mensagem de paz. Em tempo de tantos conflitos e lutas por ideias diferentes, unir as pessoas com um objetivo de propagar a paz é uma das grandes causas deste projeto.

Os fotógrafos participantes são:

Alessandra Yoradjian; Camila Hachul; Daniel Chiacos; Débora Paiva Mori; Eli Criva; Eugênio Naschold; Fábio Carvalho; Fernanda Avendanha; Henrique Carneiro; Isa Godoy; Juliana Bacchieri; Juliana Parisi; Lu Alcantara; Lu Gebara; Marcela Marchini; Marcela Quintella; Malu Mesquita; Mariana Seber; Renato Baer; Ricardo Moraes; Rodrigo Katayama; Sil Guimaraes; Sonio Lontro e Viviane Vielo.

Veja o Programa do Festival: http://imagefestivalamman.com/images/program2017.pdf



10 abril 2017

Maio Fotografia no MIS 2017

  Confira as atrações do Maio Fotografia no MIS deste ano.


Anualmente, o MIS dedica um espaço na agenda de programação para mostras exclusivamente de fotografias com obras de artistas nacionais e internacionais. Este ano serão apresentadas sete exposições:

Revista Camera – A fotografia dos séculos XIX e XX traz uma seleção de imagens da coleção que Allan Porter foi construindo durante os anos em que esteve à frente da cultuada revista de fotografia Camera (1966-1981).

Farida, um Conto Sírio* apresenta o trabalho inédito do brasileiro Mauricio Lima, que acompanhou durante seis meses o fluxo migratório de refugiados do Oriente Médio à Europa, tornando-se com este ensaio o primeiro brasileiro a receber o Prêmio Pulitzer (2016).

A mObgraphia Cultura Visual integra a programação do Maio Fotografia no MIS e traz três exposições: Avessos e paradigmas, com obras dos veteranos German Lorca, Maureen Bisilliat, Nair Benedicto e Penna Prearo fotografando pela primeira vez com celular; A arte da observação urbana, do coletivo internacional Hikari Creative, formado por premiados fotógrafos internacionais, com suas produções feitas por smartphones, e a segunda edição do Festival Latino-Americano de Mobgrafias (FLAMOB), que apresenta fotografias premiadas em seis categorias ─ Arte em mobgrafia, Documental, Retrato, Street, Preto e branco e Paisagem.
Mais informações em mobgraphia.wixsite.com/flamob2017

O Maio Fotografia ainda traz a mostra Passagens da inocência de Giullia Paulinelli, uma das artistas selecionadas pelo programa Nova Fotografia 2017.

Completa a programação uma curadoria especial feita com o acervo de fotografia do próprio MIS, intitulada Caçador e construtor, que tem entre seus destaques obras de Cristiano Mascaro, Arnaldo Pappalardo, Fernando Natalici e Gal Oppido.


PROGRAMAÇÃO PARALELA

O Maio Fotografia no MIS 2017 traz uma série de eventos paralelos. Todas as atividades são gratuitas e é necessário retirar senha quando realizadas no Auditório MIS e Auditório LABMIS.

3 de maio, quarta
19h30 | Conversa sobre a exposição Revista Camera – A fotografia dos séculos XIX e XX com Wulf Rössler (importante psiquiatra e detentor do acervo de Allan Porter), André Sturm (curador do Maio Fotografia no MIS), Patricia Lira (supervisora do CEMIS ) e Camille Chianca.
Local: Auditório MIS.

6 de maio, sábado
12h – 20h | Lançamento da coleção Foto MIS, série de livros que mostra a riqueza e a diversidade do acervo fotográfico do Museu da Imagem e do Som, produzidos em parceria com a SESI-SP editora. Cada livro aborda os aspectos mais importantes de cada coleção, por meio de uma seleção de fotografias ‒ muitas delas inéditas ‒, além de textos que as contextualizam (alguns deles com caráter histórico, outros literários). Alex Vallauri, Memória Paulistana, Lambe-lambe e Estrada de Ferro Madeira-Mamoré são as coleções abordadas nos quatro primeiros volumes.

14h | Conversa sobre a exposição Avessos e paradigmas com German Lorca, Nair Benedicto, Penna Prearo e Maureen Bisilliat.
Local: Auditório MIS.

FOTO FEIRA CAVALETE

6 e 7 de maio, sábado e domingo
O MIS recebe o evento voltado para amantes da fotografia, reunindo fotógrafos, galerias, editoras, selos independentes, artistas visuais e produtores. O objetivo é oferecer todo e qualquer objeto fotográfico: impressões, publicações, fotolivros, fotozines, livros de artistas, caixas de fotografias, fotos soltas e também roupas e serviços como impressão fine art, conservação de arquivos etc. A Foto Feira Cavalete é organizada pela DOC Galeria | Escritório de Fotografia.

#FLAMOB TALKS

● 12 de maio, sexta
[hora a definir] :: Oficina Cecília São Thiago

[hora a definir] :: Palestra de Iatã Cannabrava

[hora a definir] :: Ver, pensar e decidir: um processo criativo
Os autores Márcio Vasconcelos e Diógenes Moura encontram o público para uma conversa sobre o processo que culminou com o livro e a exposição Visões de um poema sujo.

[hora a definir] :: Projeção Tumobgrafia 125 anos do Porto de Santos

● 13 de maio, sábado
10h :: Leituras de Portfolio

14h :: Tecnologia, comunicação, arte e cultura
Painel com Carlos Piazza, Leo Saldanha, No Mirror Mag

16h :: Superação 2020, o projeto continua
Retrospectiva do projeto Superação 2016 com a presença dos fotógrafos participantes, projeção das imagens e debate.

Cursos de fotografia
Introdução ao Fotojornalismo (20 de abril a 1º de junho); Fotografia de paisagens (2 a 11 de maio);Fotografia de moda (10 de abril a 10 de maio); Ensaios fotográficos (15 a 31 de maio) e Fotografia para câmeras compactas e smartphones (18 a 27 de abril). Em todos os cursos os alunos ganham um ingresso gratuito e participam de uma visita guiada pelo professor à exposição Maio Fotografia no MIS 2017.

Sobre o Maio Fotografia no MIS

Criado em 2012, o projeto Maio Fotografia no MIS, que tem curadoria de André Sturm, dedica cerca de dois meses por ano à fotografia, com todos os espaços do Museu tomados por exposições, seminários e oficinas. Em suas cinco edições figuraram importantes artistas, nacionais e internacionais, como André Kertész, Andy Warhol, Carlos Eber, Chico Albuquerque Claudio Edinger, Gregory Crewdson, Josef Koudelka, Martin Parr, Valdir Cruz, Vivian Maier e Willy Ronnis.
exposição

Abertura 12 de abril, quarta, às 18h, entrada gratuita

HORÁRIO
12h-21h ter a sáb
11h-20h dom e feriados

INGRESSOS
R$6 (inteira)
R$3 (meia)

Fonte: MIS

07 abril 2017

Exposição: Primeiras Fotografias de Henri Cartier-Bresson

Fotografias do início da carreira de Cartier-Bresson serão expostas em São Paulo.



Em 1932, com a idade de 24 anos, o francês Henri Cartier-Bresson adquiriu, em Marselha, a câmera Leica da qual nunca se separou, tornando-a uma extensão do seu olho e transformando seu interesse casual pela fotografia em paixão. Nos três anos seguintes, ele criou uma das mais originais e influentes narrativas visuais da história da fotografia.

O trabalho deste período de sua vida está agora em exibição no Brasil, na Galeria de Fotos do SESI-SP, a mostra conta com oitenta fotografias do mais influente fotógrafo do século XX.


Nesta mostra, com fotos clássicas e algumas inéditas, podemos perceber o caminho percorrido pelo jovem fotógrafo, suas viagens e aventuras pela Espanha, México, França e Itália. Nestas jornadas, em que passa os dias flanando, a sua busca é pelo “Momento Decisivo”, conceito originalmente publicado no livro Images à la Sauvette, de 1952.

Com curadoria de João Kulcsár, esta exposição é uma colaboração com a Fundação Henri Cartier-Bresson, Paris.

Primeiras Fotografias de Henri Cartier-Bresson

Galeria de Fotos do SESI-SP 
Av. Paulista, 1313 - São Paulo, Brasil
De 18 de abril a 25 de junho de 2017
Diariamente, das 10h às 20h
Gratuito

Mais informações aqui


31 março 2017

Um dia na Semana da Fotografia 2017

 Congresso em Balneário Camboriú, leva conhecimento e emoção aos participantes.

Alem do olhar-Semana da fotografia 2017

O congresso, que ocorreu entre os dias 20 e 22 de março, contou com quase 1.000 congressistas, de 20 estados do Brasil, consolidado a Semana da Fotografia 2017 como um dos maiores eventos de fotografia do Brasil.

Seguindo com nossa parceria com a iPhotos Editora, organizadora do congresso, estivemos presentes no evento.

Nossa representante Carina Couto, acompanhou um dia do evento e nos trouxe o relato de suas impressões e experiencias por lá.

Alem do olhar-Semana da fotografia 2017

Consciência sobre o Básico


Apesar de coletar as minhas impressões e sentimentos junto a palestrantes diferentes o que pude absorver como referência e valor é a consciência sobre quem sou, como sou e como toda minha produção ocupa lugar no mundo; presença, dai a importância de uma consciência sobre o básico.
Nesta jornada valores como quebras de máscaras sociais e a importância  de nos vestirmos de mesmos, foi algo muito citado na excelente palestra de Juliano Coelho, cujo o tema central foi; " A Arte de Retratar".

Alem do olhar-Semana da fotografia 2017

Juliano Coelho reforçou a ideia e importância sobre aprender a escrever,escrever com a luz, escrever com sua personalidade eis aí a maneira correta de fotografar com sensibilidade, ter presença. Ele deixou bem claro em sua palestra o entusiasmo sobre a arte de retratar, focou muito no poder de saber sobre si,(o "conheça à ti mesmo socrático) mostrando que não somos máquinas de fazer fotos bonitas e sim pessoas confiantes que convencem o mundo sendo nos mesmo e em três passos: conhecendo a si mesmo; aprender a enxerga e aprender a escutar, assim  nos tornamos humanos e excelentes retratistas desta arte.

Continuando na construção do básico sensível, segue-se a palestra de Américo Sperandio cujo a questão central foi levantar a questão: Quem você pensa que é?

E com base nesta questão, mostrou na prática a emoção; atitude e a linguagem sobre como direcionar a fotografia para o que queremos ser. Para Sperandio atitude é o contrário de medo e da inércia. Ficou bem claro que temos de ter a consciência sobre o que nosso cliente deseja e diante disso, construir harmonia entre o que somos e aquilo que deseja este cliente,transmitindo na fotografia reciprocidade de um relacionamento.

Fotografar ou contar histórias?
E qual é o propósito do seu trabalho?
Sua marca, sua arte...
Quais são os seus valores?
O diferencial da sua arte é você?

Alem do olhar-Semana da fotografia 2017

Rafaela Zakarewicz dentro do seu fundamento com o marketing nos mostrou uma variedade de caminhos sobre como construirmos uma presença nas mídias sociais, focando na questão da presença traduzida em personalidade. Deu continuidade ao foco das palestras anteriores ressaltando a fotografia como arte pessoal e que esta personalidade se faz na leitura de um trabalho dedicado e desenvolvido nas particularidades de cada uma dessas personalidades envolvidas; saber ler as personalidades e registrar essas leituras é fundamental, é a essência da arte de fotografar.

Devemos buscar o equilíbrio entre nós mesmo; um propósito definido e ser fiel a ele.Mostramos nossos valores falando sobre o que somos e assim,dessa forma somos o diferencial de nossa arte de registrar.

Conhecer a importância e necessidade sobre coisas tão básicas como o "Ser e estar" para uma produção fotográfica, essa consciência sobre o básico, se fez uma jornada introspectiva que nos coloca como alguém com uma dimensão muito maior do que um simples dedo que aperta um botão diante de uma imagem do mundo.

Alem do olhar-Semana da fotografia 2017

Carina Couto: Olá! Sou Carina Couto :) Bem...sou paulista, tenho 31 anos, atualmente moro em Jaraguá do Sul SC. Gosto de moda, cinema, tecnologia, cores, montanhas, bichos, música, pedagogia e a fotografia! Uma paixão que tornou se amor e caminha comigo

15 março 2017

Festival de Fotografia de Tiradentes 2017

Com conteúdos colaborativos, projeções noturnas e troca de experiências durante todos os dias de evento,  Foto em Pauta chega a sua 7ª edição
 
Foto: João Marcos
 Entre os dias 22 e 26 de março, a fotografia entra em cena na histórica Tiradentes. A sétima edição do Festival de Fotografia promove o intercâmbio de experiências entre amadores e profissionais de todo o mundo, além de reunir artistas e curadores para discutir a fotografia contemporânea e a expressão desta arte.

Com uma programação extensa, o festival contará com a presença dos renomados fotógrafos espanhóis J.R. Duran e Cristina de Middel, que apresentarão seus projetos relacionados à fotografia. No dia 24, às 14h, o fotógrafo J.R. Duran participará do debate sobre a Rev. Nacional, a qual é o editor, e que será mediado pelo professor Rubens Fernandes Junior. O encontro, realizado no Centro Cultural Yves Alves, marca também o lançamento da oitava edição da publicação, que aborda o trabalho fotográfico de J.R. Duran sob a ótica dos mais diversos perfis e ofícios dos brasileiros, promovendo uma reflexão acerca do futuro do país.

Já a fotógrafa Cristina de Middel, será entrevistada pelo diretor do FotoRio, Milton Guran no dia 25, às 14h. Reconhecida como uma das referências na edição de fotolivros, Cristina de Middel investiga a relação ambígua entre a fotografia e a verdade. Mediante a combinação de documentos e práticas fotográficas conceituais, sua obra leva o público a questionar a linguagem e a veracidade da fotografia como documento, e joga com reconstruções e arquétipos que distorcem a fronteira entre a realidade e a ficção.

Outro destaque da 7ª edição é a mostra fotográfica “Oriente Risco”, que apresenta obras de 17 profissionais residentes no nordeste do país, selecionados por meio de convocatória pública realizada em 2016, com uma edição produzida exclusivamente para o Festival de Fotografia de Tiradentes. Além disso, estão programadas palestras e projeções noturnas no dia 24 e 25 de março.

Consolidado como um dos eventos nacionais mais importantes para a fotografia autoral brasileira, o festival apresenta, este ano, exposições, workshops, palestras, debates, lançamentos de livros, projeções noturnas e atividades educativas voltadas para a comunidade local.

Durante os cinco dias de realização do evento, aqueles que passarem pelo centro histórico de Tiradentes poderão participar de ações diferenciadas ligadas à arte da fotografia. “A programação do Festival transita entre a contemplação e a qualificação. As pessoas poderão participar de palestras, workshops e exposições temáticas, que ampliarão seus conhecimentos sobre os rumos da fotografia”, explica o curador do evento Eugênio Sávio.

Reunindo um time de profissionais conceituados, o Festival retratará a riqueza e a diversidade da fotografia brasileira. De acordo com Eugênio, profissionais de renome nacional e internacional, com produção artística representativa no cenário da fotografia, participarão das atividades. Entre os confirmados estão Anna Kahn, Alexandre Belém, Daniel Sosa, Éder Chiodetto, Inês Bonduki, Joaquim Paiva, Mauro Restiffe, Nydia Negromonte, Patrícia Veloso, Rafael Roccato, Renata Marquez, Rogério Assis. “O objetivo é fomentar a relevância e a beleza desta arte para a sociedade. Por isso, oferecemos uma programação gratuita, capaz de agradar a todas as pessoas”, destaca Eugênio.

Cerca de 20 artistas foram convidados para ministrar 15 palestras gratuitas e 15 workshops que estão com chamadas abertas para inscrição antecipada pelo site www.fotoempauta.com.br/festival2017/workshop/.
Os cursos de qualificação visam estimular a produção criativa em diferentes possibilidades e explorar a fotografia na arte contemporânea e na capacidade crítica de criar novos mundos.

Foto: Cristina de Middel


Lançamento de Fotolivros


A 7ª edição do Festival de Fotografia de Tiradentes marca também o lançamento de fotolivros de 20 autores brasileiros, que acontecerão durante o Festival no Sobrado Quatro Cantos, na rua Direita, 5.  Como destaque, dentre os lançamentos, está a obra “ZOO”, do fotógrafo mineiro João Castilho, que retrata diversos animais silvestres em ambientes residenciais. Embora possa parecer simples, deslocar um animal de seu ambiente natural para um ambiente doméstico causa um grande estranhamento para o animal e também para as pessoas. O principal objetivo do autor nesse trabalho é explorar uma tensão entre animal, deslocado de seu lugar habitual, e homem (fotógrafo) dentro de seu suposto lugar de conforto.

Com a narrativa direcionada ao universo feminino, o fotolivro “Sereias”, dos fotógrafos Fernanda Oliveira e Sérgio Carvalho, revela o mundo das pescadoras artesanais no Ceará. Personagens como Cleomar, Márcia, Maria Cabelão e Sidnéia são retratadas pela dupla de fotógrafos que, ao longo de 4 anos, pesquisou e documentou a vida e o ofício de quem cuida da casa e se lança ao mar, vencendo medos e preconceitos de uma atividade dominada por homens.

Já o fotolivro “Chuva Fora de Lugar”, do fotógrafo Davilym Dourado, retrata um manifesto em favor da natureza, que reflete as mudanças climáticas que fragilizam a humanidade. O trabalho proporciona uma tomada de consciência sobre a relação do homem com o meio ambiente.

A obra “Pequena rota do insuspeitável”, do fotógrafo Cyro Almeida, reúne os registros fotográficos de diversos personagens encontrados na periferia de Belém (PA). A narrativa visual que compõe o livro foi planejada a partir da rota das vans (transporte urbano alternativo e não regulamentado) que ligam bairros periféricos considerados áreas de risco da violência. As fotografias não tratam da violência urbana, mas desafiam a pensar como a representação estereotipada, a distinção social e fantasia do medo, quando repetidas exaustivamente contra essas regiões periféricas, reforçam estigmas e a própria violência que criticam.

Outra grande novidade é a exibição da mostra de fotolivros vinda do Centro de Fotografia de Montevidéu, Uruguai, que reúne 32 obras de artistas de diferentes locais da América Latina e da Península Ibérica. A exposição estará disponível no Centro de Cultura da UFMG. A entrada é gratuita.

Foto: Elza Lima

Sobre o Festival


Desde 2004 o projeto Foto em Pauta realiza em Belo Horizonte debates gratuitos e abertos ao público sobre o trabalho fotográfico brasileiro, além de possibilitar aos convidados conhecer a obra de grandes artistas e conversar com os próprios autores sobre a concepção do seu trabalho. Em Tiradentes, o Festival de Fotografia é realizado desde 2011 com a mesma proposta de divulgar a produção fotográfica brasileira, e fomentar o desenvolvimento da linguagem artística no Brasil.

A realização do evento ganhou força graças à solidificação das parcerias com apoiadores e patrocinadores, bem como a colaboração dos fotógrafos envolvidos, que participam das exposições e ministram palestras e workshops. O Festival é realizado com os benefícios da Lei Federal de Incentivo à Cultura e da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais; tem o patrocínio da Oi e do Itaú, e o apoio do Oi Futuro, Itaú Cultural, SESI, UFMG e FIAT.

Do seu início até hoje, o Festival de Fotografia de Tiradentes impressiona pelos números: já reuniu trabalhos de 466 fotógrafos em 55 exposições, além de lançar 68 livros de fotógrafos e realizar 77 palestras e 91 cursos e workshops. Todo este esforço demonstra a importância do festival para o debate e a democratização da fotografia autoral brasileira. E os resultados já podem ser sentidos nesta edição, que já recebeu 563 autores inscritos para duas convocatórias abertas ao público, com fotografias e livros recebidos de todos os lados do Brasil.

Foto: Paula Clerman
Como chegar
Os eventos do Festival de Fotografia de Tiradentes estarão concentrados no Centro Cultural Yves Alves, na Rua Direita, nº168. Tiradentes fica situada na região do Campo das Vertentes de Minas Gerais, a 203 km de Belo Horizonte e a apenas 12 km de São João del Rei, outra importante cidade histórica mineira que merece ser visitada. Se você pretende ir de ônibus, pesquise ônibus para São João del Rei.


7º Festival de Fotografia de Tiradentes
Data: 22 a 26 de março de 2017
Locais: Centro Cultural Yves Alves, Rua Direita, nº168 - Tiradentes/MG
Inscrições para as oficinas: www.fotoempauta.com.br/festival2017/workshop/
Informações sobre o festival: www.fotoempauta.com.br/festival2017
Nas redes sociais:
Facebook: www.facebook.com/fotoempauta/
Flickr: www.flickr.com/photos/fotoempauta/
Instagram: @fotoempauta
Twitter: https://twitter.com/fotoempauta"twitter.com/fotoempauta/
Youtube: www.youtube.com/user/fotoempauta
 
Copyright © 2014 Alem do Olhar - Fotografia. - Powered by Blogger - Traduzido Por: - Templates Para Blogspot