15 março 2017

Festival de Fotografia de Tiradentes 2017

Com conteúdos colaborativos, projeções noturnas e troca de experiências durante todos os dias de evento,  Foto em Pauta chega a sua 7ª edição
 
Foto: João Marcos
 Entre os dias 22 e 26 de março, a fotografia entra em cena na histórica Tiradentes. A sétima edição do Festival de Fotografia promove o intercâmbio de experiências entre amadores e profissionais de todo o mundo, além de reunir artistas e curadores para discutir a fotografia contemporânea e a expressão desta arte.

Com uma programação extensa, o festival contará com a presença dos renomados fotógrafos espanhóis J.R. Duran e Cristina de Middel, que apresentarão seus projetos relacionados à fotografia. No dia 24, às 14h, o fotógrafo J.R. Duran participará do debate sobre a Rev. Nacional, a qual é o editor, e que será mediado pelo professor Rubens Fernandes Junior. O encontro, realizado no Centro Cultural Yves Alves, marca também o lançamento da oitava edição da publicação, que aborda o trabalho fotográfico de J.R. Duran sob a ótica dos mais diversos perfis e ofícios dos brasileiros, promovendo uma reflexão acerca do futuro do país.

Já a fotógrafa Cristina de Middel, será entrevistada pelo diretor do FotoRio, Milton Guran no dia 25, às 14h. Reconhecida como uma das referências na edição de fotolivros, Cristina de Middel investiga a relação ambígua entre a fotografia e a verdade. Mediante a combinação de documentos e práticas fotográficas conceituais, sua obra leva o público a questionar a linguagem e a veracidade da fotografia como documento, e joga com reconstruções e arquétipos que distorcem a fronteira entre a realidade e a ficção.

Outro destaque da 7ª edição é a mostra fotográfica “Oriente Risco”, que apresenta obras de 17 profissionais residentes no nordeste do país, selecionados por meio de convocatória pública realizada em 2016, com uma edição produzida exclusivamente para o Festival de Fotografia de Tiradentes. Além disso, estão programadas palestras e projeções noturnas no dia 24 e 25 de março.

Consolidado como um dos eventos nacionais mais importantes para a fotografia autoral brasileira, o festival apresenta, este ano, exposições, workshops, palestras, debates, lançamentos de livros, projeções noturnas e atividades educativas voltadas para a comunidade local.

Durante os cinco dias de realização do evento, aqueles que passarem pelo centro histórico de Tiradentes poderão participar de ações diferenciadas ligadas à arte da fotografia. “A programação do Festival transita entre a contemplação e a qualificação. As pessoas poderão participar de palestras, workshops e exposições temáticas, que ampliarão seus conhecimentos sobre os rumos da fotografia”, explica o curador do evento Eugênio Sávio.

Reunindo um time de profissionais conceituados, o Festival retratará a riqueza e a diversidade da fotografia brasileira. De acordo com Eugênio, profissionais de renome nacional e internacional, com produção artística representativa no cenário da fotografia, participarão das atividades. Entre os confirmados estão Anna Kahn, Alexandre Belém, Daniel Sosa, Éder Chiodetto, Inês Bonduki, Joaquim Paiva, Mauro Restiffe, Nydia Negromonte, Patrícia Veloso, Rafael Roccato, Renata Marquez, Rogério Assis. “O objetivo é fomentar a relevância e a beleza desta arte para a sociedade. Por isso, oferecemos uma programação gratuita, capaz de agradar a todas as pessoas”, destaca Eugênio.

Cerca de 20 artistas foram convidados para ministrar 15 palestras gratuitas e 15 workshops que estão com chamadas abertas para inscrição antecipada pelo site www.fotoempauta.com.br/festival2017/workshop/.
Os cursos de qualificação visam estimular a produção criativa em diferentes possibilidades e explorar a fotografia na arte contemporânea e na capacidade crítica de criar novos mundos.

Foto: Cristina de Middel


Lançamento de Fotolivros


A 7ª edição do Festival de Fotografia de Tiradentes marca também o lançamento de fotolivros de 20 autores brasileiros, que acontecerão durante o Festival no Sobrado Quatro Cantos, na rua Direita, 5.  Como destaque, dentre os lançamentos, está a obra “ZOO”, do fotógrafo mineiro João Castilho, que retrata diversos animais silvestres em ambientes residenciais. Embora possa parecer simples, deslocar um animal de seu ambiente natural para um ambiente doméstico causa um grande estranhamento para o animal e também para as pessoas. O principal objetivo do autor nesse trabalho é explorar uma tensão entre animal, deslocado de seu lugar habitual, e homem (fotógrafo) dentro de seu suposto lugar de conforto.

Com a narrativa direcionada ao universo feminino, o fotolivro “Sereias”, dos fotógrafos Fernanda Oliveira e Sérgio Carvalho, revela o mundo das pescadoras artesanais no Ceará. Personagens como Cleomar, Márcia, Maria Cabelão e Sidnéia são retratadas pela dupla de fotógrafos que, ao longo de 4 anos, pesquisou e documentou a vida e o ofício de quem cuida da casa e se lança ao mar, vencendo medos e preconceitos de uma atividade dominada por homens.

Já o fotolivro “Chuva Fora de Lugar”, do fotógrafo Davilym Dourado, retrata um manifesto em favor da natureza, que reflete as mudanças climáticas que fragilizam a humanidade. O trabalho proporciona uma tomada de consciência sobre a relação do homem com o meio ambiente.

A obra “Pequena rota do insuspeitável”, do fotógrafo Cyro Almeida, reúne os registros fotográficos de diversos personagens encontrados na periferia de Belém (PA). A narrativa visual que compõe o livro foi planejada a partir da rota das vans (transporte urbano alternativo e não regulamentado) que ligam bairros periféricos considerados áreas de risco da violência. As fotografias não tratam da violência urbana, mas desafiam a pensar como a representação estereotipada, a distinção social e fantasia do medo, quando repetidas exaustivamente contra essas regiões periféricas, reforçam estigmas e a própria violência que criticam.

Outra grande novidade é a exibição da mostra de fotolivros vinda do Centro de Fotografia de Montevidéu, Uruguai, que reúne 32 obras de artistas de diferentes locais da América Latina e da Península Ibérica. A exposição estará disponível no Centro de Cultura da UFMG. A entrada é gratuita.

Foto: Elza Lima

Sobre o Festival


Desde 2004 o projeto Foto em Pauta realiza em Belo Horizonte debates gratuitos e abertos ao público sobre o trabalho fotográfico brasileiro, além de possibilitar aos convidados conhecer a obra de grandes artistas e conversar com os próprios autores sobre a concepção do seu trabalho. Em Tiradentes, o Festival de Fotografia é realizado desde 2011 com a mesma proposta de divulgar a produção fotográfica brasileira, e fomentar o desenvolvimento da linguagem artística no Brasil.

A realização do evento ganhou força graças à solidificação das parcerias com apoiadores e patrocinadores, bem como a colaboração dos fotógrafos envolvidos, que participam das exposições e ministram palestras e workshops. O Festival é realizado com os benefícios da Lei Federal de Incentivo à Cultura e da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais; tem o patrocínio da Oi e do Itaú, e o apoio do Oi Futuro, Itaú Cultural, SESI, UFMG e FIAT.

Do seu início até hoje, o Festival de Fotografia de Tiradentes impressiona pelos números: já reuniu trabalhos de 466 fotógrafos em 55 exposições, além de lançar 68 livros de fotógrafos e realizar 77 palestras e 91 cursos e workshops. Todo este esforço demonstra a importância do festival para o debate e a democratização da fotografia autoral brasileira. E os resultados já podem ser sentidos nesta edição, que já recebeu 563 autores inscritos para duas convocatórias abertas ao público, com fotografias e livros recebidos de todos os lados do Brasil.

Foto: Paula Clerman
Como chegar
Os eventos do Festival de Fotografia de Tiradentes estarão concentrados no Centro Cultural Yves Alves, na Rua Direita, nº168. Tiradentes fica situada na região do Campo das Vertentes de Minas Gerais, a 203 km de Belo Horizonte e a apenas 12 km de São João del Rei, outra importante cidade histórica mineira que merece ser visitada. Se você pretende ir de ônibus, pesquise ônibus para São João del Rei.


7º Festival de Fotografia de Tiradentes
Data: 22 a 26 de março de 2017
Locais: Centro Cultural Yves Alves, Rua Direita, nº168 - Tiradentes/MG
Inscrições para as oficinas: www.fotoempauta.com.br/festival2017/workshop/
Informações sobre o festival: www.fotoempauta.com.br/festival2017
Nas redes sociais:
Facebook: www.facebook.com/fotoempauta/
Flickr: www.flickr.com/photos/fotoempauta/
Instagram: @fotoempauta
Twitter: https://twitter.com/fotoempauta"twitter.com/fotoempauta/
Youtube: www.youtube.com/user/fotoempauta

13 março 2017

Fotografia newborn: guia básico

Fotógrafa e pediatra Melissa Pierobom dá dicas para quem quer iniciar na fotografia Newborn.
Foto: Melissa Pierobom

A fotografia newborn já é bastante popular nos EUA e na Austrália. E agora, esse mercado vem crescendo exponencialmente pelo Brasil também.

Como em qualquer área da fotografia profissional, a fotografia newborn requer habilidade e conhecimento técnico. No entanto, exclusivamente nessa modalidade, é essencial garantir a segurança e o bem-estar do modelo e isso, por se tratar de bebês com menos de 20 dias de vida, é responsabilidade total do fotógrafo durante todo o ensaio. O profissional é quem garantirá que o conforto do bebê, e posicionará e acalmará o pequeno durante as sessões.

Essa questão do manuseio do recém-nascido é ainda um pesadelo para muitos fotógrafo que desejam ingressar nesse meio. Muitos têm medo de segurar e posicionar o modelo.

Decidimos procurar respostas para algumas das questões mais frequentes que vemos por aí.

Foto: Melissa Pierobom
“Eu preciso aprender muito mais do que fotografia para fotografar newborn?”

“Toda a sessão fotográfica se baseia na manipulação do recém-nascido. Então não tem como um fotógrafo trabalhar com bebês e não saber sobre a sua fisiologia e anatomia. Se não souber, não fará corretamente”, explica Melissa Pierobom, fotógrafa newborn e pediatra. Ela ainda afirma que é isso que garante o bem-estar e conforto do bebê durante o ensaio e evita colocá-lo em posições desagradáveis para o seu corpo ainda em desenvolvimento.

Para fotografar recém-nascidos, o treinamento é essencial. E não é somente estudar as técnicas fotográficas, mas sim as habilidades necessárias para garantir a segurança de alguém tão indefeso. O fotógrafo deve saber que bebês são muito delicados e precisam ser manipulados com bastante cuidado. Melissa confirma veemente que é fundamental conhecer a anatomia e a fisiologia do newborn para manipulá-lo de forma adequada. Por exemplo, eles não são capazes de controlar a própria temperatura corpóres e também não conseguem avisar isso. Assim, eles dependem do fotógrafo para cuidar deles e garantir o seu bem-estar.

“Quanto tempo demora uma sessão fotográfica?”

Em média, uma sessão dura entre três e quatro horas, e na prática, a menor parte desse tempo é gasta fotografando propriamente. Todo o resto, o fotógrafo passa acalmando, posicionando, ajeitando e aninhando o bebê.

“Uma situação que me marcou muito foi de uma bebezinha de 11 meses que chorava estericamente toda vez que via a câmera, sou uma pessoa muito calma e muito paciente mas ela me ensinou ir mais além disso. Levei mais de 40min para ganhar sua confiança com a câmera escondida e depois na brincadeira fui introduzindo aos poucos nas mãos dela, para que ela sentisse e reconhecesse como objeto, como inofensivo. Depois fotografei uma pelúcia da galinha pintadinha e mostrei na tela para que ela entendesse o qual objetivo da câmera. E após todo esse processo a sessão aconteceu, tudo no tempo dela, assim como o newborn”, conta Hellen Ramos, fotógrafa especialista em companhamento infantil, para exemplificar como o tempo é gasto em um ensaio com crianças.

É fundamental ter a consciência de que todo o ensaio deve fluir de acordo com o ritmo do bebê, afinal é ele a estrela do show. Tentar acelerar a sessão e contar as horas no relógio só vai servir para te estressar e agitar o bebê. E aí, com um bebê agitado, pouco você conseguirá fazer.

Em geral, o fotógrafo profissional, que utiliza as técnicas corretas, realiza apenas uma sessão por dia para evitar estressar o bebê por demais.
Foto: Melissa Pierobom

“Qual é a idade ideal do bebê?”


Bebê recém-nascido dorme bastante durante o dia e tem um corpo bem maleável. Mas isso muda rapidamente, a partir da terceira semana de vida. Nesse ponto, o bebê começa a dormir menos e um sono mais leve e ganha tônus muscular e perdem essa flexibilidade, dificultando o manuseio do neném.

Idealmente, então, um ensaio newborn acontece antes das duas semanas de vida do nosso modelo.

Mas sempre há exceções. Melissa conta que tenta fazer as sessões com recém-nascidos com idades em torno doa dez dias, mas que já fotografou bebê com mais de 20 dias e até com dois meses.” A idade depende muito de cada bebê. Não tem regra. Tem bebês que são mais dorminhocos e maleáveis mesmo mais velho, e alguns difíceis mesmo mais novos. Quanto mais os dias passam, menos flexíveis eles estarão, dificultando o posicionamento. Neste caso não devemos forçar as poses que já não aceitam fazer. Tem bebês sensíveis, que não aceitam muitas coisas. Tem bebês que não abrem as mãos. Tem bebês com reflexos exacerbados”, explica.

“Mas como eu começo?”

Tudo, no começo, parece difícil, e a fotografia newborn não é diferente. Antes de mais nada, deve-se manter a calma e paciência, e focar em um estilo de fotografia mais simples para iniciar. A experiência e a prática mostrarão quais os equipamentos e acessórios necessários.

O mais importante é procurar por treinamento, estudar, participar de workshops, eventos e cursos sobre o tema, para aprender, não só a fotografar, mas a manusear de forma cuidadosa o recém-nascido e garantir a sua segurança e o seu bem-estar.

Foto: Melissa Pierobom
“Quero saber mais”

Visando o conhecimento e aprendizado desse mercado, o Instituto Internacional de Fotografia realiza todos os anos o Newborn Photo Conference, o congresso mais completo sobre a fotografia newborn do mundo!

Esse ano, a próxima edição já está marcada. O evento acontece entre os dias 18 e 20 de Abril, em São Paulo e contará com transmissão online.

Melissa Pierobom é uma das palestrantes convidadas do congresso e falará sobre a segurança do bebê durante os ensaios. Além dela, o evento traz outros 13 palestrantes, entre profissionais brasileiros e estrangeiros para abordar todos os temas da fotografia de família e da fotografia como carreira.

Não fique fora dessa. Garanta já o seu ingresso pelo site.

Acesse: Newborn Photo Conference 2017
Mais informações: eventos@iif.com.br ou (11) 3021-3335


10 março 2017

Exposição inaugura Museu da Fotografia Fortaleza.

Com  sua primeira exposição abertura ao público, museu traz mais de 400 obras representantes da história da fotografia nacional e estrangeira.


Museu da Fotografia Fortaleza- MFF, recebe sua primeira exposição de fotos neste mês com um dos mais ricos acervos fotográficos do país, a Coleção Paula e Silvio Frota.

No próximo sábado (11), o Ceará recebe a primeira exposição de fotos no novo Museu da Fotografia de Fortaleza. Na ocasião, serão expostas a coleção fotográfica do colecionador de arte Silvio Frota.

A coleção abrange dois séculos de história da fotografia nacional e estrangeira, em 2 mil trabalhos unidos em um único espaço, que será aberto ao público.


São fotos históricas, fotorreportagens, arquivos fotográficos, cineclubismo, retratos, paisagens, crônicas visuais – assim como a diversidades de autores entre brasileiros e estrangeiros, que cobrem um amplo espectro da história da fotografia. As fotos da coleção abordam de uma maneira ampla as múltiplas possibilidades de estudo, apresentação e interpretação da coleção como um todo, um valioso patrimônio que está sendo disponibilizado para os mais diversos públicos de Fortaleza, do Brasil e do mundo.

Uma das principais características da coleção são as séries de fotojornalismo e a seção que foca o período da ditadura militar. Para o colecionador, esses artigos contam uma história surpreendente do país.

“É preciso contar uma história, é preciso contar a história do país, e o fotojornalismo é perfeito para isso. Veja as fotos dos anos 1960 aos 1970: eram adrenalina pura. A nova geração produz uma fotografia muito mais construída. Poder acompanhar isso é muito bom”, comenta o colecionador.

Sob este mesmo raciocínio, Frota iniciou, mais recentemente, um novo recorte focado em conflitos políticos, com imagens registradas em outros países.


Museu da Fotografia Fortaleza

Abertura: 11 de março de 2017
Visitação: de quarta sábado, das 12h às 17h
Endereço: Rua Frederico Borges, 545, Varjota, Fortaleza – CE
Informações: museudafotografia.com.br


Fontes: Museu da FotografiaTribuna do Ceará, Resumo Fotográfico
















03 março 2017

Exposição: Dissenso

Fotoclube Bulb f/22 abre a exposição “DISSENSO” na MONO Galeria Individual

Convite exposição

Questionando a liberdade criativa em um mundo sobrecarregado por imagens, grupo formado por vinte e um fotógrafos inicia seu terceiro ano de atividades com sua segunda exposição coletiva.

No dia 11/03, o Fotoclube Bulb f/22 abre exposição “Dissenso”, na MONO Galeria Individual, em São Paulo. O grupo, que em 2017 inicia o seu terceiro ano de atividades, é formado por vinte e um fotógrafos que se dedicam à fotografia expressiva para o desenvolvimento de pesquisas e experimentações poéticas, que se desdobram sobre temas diversificados.

Para a sua segunda exposição, a liberdade poética e estética em uma sociedade que intensamente produz e consume imagens é o tema trazido como um pacto presumido de cumplicidade entre os fotógrafos e o público: apostando na harmonia do dissenso, ao público é entregue uma exposição sem discursos lineares, normativos ou definidos.

Foto: Cadu Torres/Bulb f22

Mesmo com a variedade de integrantes, os fotógrafos enfatizam que a liberdade criativa é algo fundamental para a existência do grupo: “A experiência é coletiva, mas a coesão que buscamos entre nossos integrantes é ética, não estética. Em grupo, incentivamos as pesquisas e experimentações de cada um. Mesmo com nossos encontros e discussões, compartilhamos nossos interesses, nossas ideias e propostas, sem impor uns aos outros normas ou temas”, diz Márcio Neves, um dos fotógrafos integrantes.

A diversidade promovida pela liberdade pode ser vista neste resultado final: a mostra conta com 51 imagens, e as técnicas variam entre a fotografia digital e procedimentos fotográficos do século XIX.

O poder de um diálogo inacabado e imaginário com o público também se faz presente: “Isto é algo que nos motiva a realizar a exposição: pôr-se com os outros, questionar seus pensamentos mais corriqueiros ou automáticos, trazer um novo olhar não como um mérito nosso, mas como algo ao qual eles também podem recorrer, como uma alternativa de construção do imaginário”, diz Tiago Marin, outro integrante.

A exposição, com entrada franca, fica em cartaz até o dia 18/03.

Foto: Alvaro Grave/Bulb f22


Exposição: “Dissenso”- 
Fotoclube Bulb f/22 na MONO Galeria Individual

Fotógrafos participantes: Alvaro Grave, Bruno Schlogel, Cadu Torrës, Cecilia Vellutini, Chico Castro, Daniela Baek, Danielle Quartarolli, Flávio Titus, Julio Ogata, Laís Namura, Lígia Wendler, Luigi Saria, Luiz Carlos, Márcio Neves, Mauro Capozzi, Rinaldo Stos, Rodrigo Zugaib, Shirley Manfio, Tiago Marin, Tiago Tagawa e Yago Moreira.

Local: MONO Galeria Individual
Endereço: Rua Cardeal Arcoverde, 2926.
Abertura: 11/03 às 18hs
Exposição: de 12/03 a 18/03, das 11hs às 18hs.
Entrada franca.

Foto: Tiago Tagawa/Bulb f22
Fonte: Bulb f/22

24 fevereiro 2017

Fotógrafo David Burnett recebe prêmio.

David Burnett foi vencedor do primeiro Prêmio Greenfield na arte da fotografia.



The Hermitage Artist Retreat em parceira, com a Fundação Greenfield têm o prazer de apresentar o seu primeiro Prêmio Greenfield na arte da fotografia para o internacionalmente aclamado fotojornalista David Burnett .

O Prêmio será apresentado a Burnett em um jantar de celebração no dia 02 de abril, em Sarasota, Florida. O júri que selecionou Burnett consistiu em Presidente Dr. Tony Bannon , diretor-executivo da Burchfield Penney Art Center e ex-diretor da George Eastman Museu; Daile Kaplan , vice-presidente e diretor de fotografia de Swann Auction Galleries; Robert Pledge , co-fundador da Contact Press Images e curador internacional de exposições fotográficas; Greenfield Fundação Representante Joni Greenfield e Hermitage Artist Retreat Director Executivo e moderador Bruce E. Rodgers.

"Como sempre, um júri extraordinária de peritos teve um momento muito difícil selecionar o destinatário para o Prêmio Greenfield", observou Rodgers. "Quatro fotógrafos excepcionais foram consideradas, mas no final, David Burnett se destacou e foi uma escolha unânime. Estamos ansiosos para apresentá-lo durante o fim de semana Prêmio Greenfield em abril. "


David Burnett tem sido um fotojornalista aclamado internacionalmente por mais de cinco décadas. Trabalhou para a revista TIME, em Washington, em Miami, e mais tarde por dois anos no Vietnã, como correspondente freelance. Já recebeu os prêmios: "Press Photo of the Year" prêmio da World Press Photo Foundation (Holanda), "Magazine Photographer of the Year" Pictures of the Year (EUA), a Medalha de Ouro Robert Capa do Overseas Press Club of America (EUA), o último dos quais também tem duas vezes concedeu-lhe o prêmio Olivier Rebbot pelo trabalho realizado em todo o mundo. Ele fotografou todos os presidentes americanos desde John F. Kennedy, e cobriu todos os Jogos Olímpicos de Verão desde 1984. Ele vive na área de Nova York, mas se considera um cidadão do mundo.


O Prêmio Greenfield no Hermitage Artist Retreat é uma parceria inovadora entre a Fundação Greenfield, baseada na Filadélfia e o Retreat Hermitage Artista. Prosseguindo a missão de "trazer para o mundo da arte que terão um impacto significativo sobre a cultura mais ampla ou artística".

Como destinatário deste ano, Burnett vai receber uma comissão de US $ 30.000 para o seu projeto proposto para ser criado dentro de um prazo de dois anos. A exposição fotográfica de Burnett terá sua primeira exibição no Sarasota Museum of Ar na primavera de 2019. Ele também recebe uma residência no Hermitage Artist Retreat, para garantir o tempo em que fizer o trabalho.

O Prêmio Greenfield gira anualmente entre três áreas artísticas: teatro, música e artes visuais. A categoria específica de fotografia foi selecionada como uma oportunidade para reconhecer uma categoria diferente de arte visual.

"Eu sou extremamente grato a ser reconhecido para o Prêmio Greenfield, especialmente no primeiro ano em que é concedido em fotografia", comentou Burnett.

Para mais informações sobre o Prêmio Greenfield, visite o website www.GreenfieldPrize.org .

O fotógrafo David Burnett e sua câmera Speed Graphic, nas Olimpíadas Rio 2016.

20 fevereiro 2017

Congresso Fotografar com o Além do Olhar.

Vamos juntos a Congresso fotografar com desconto de 30%.


Quer participar de um dos melhores congressos de fotografia do pais?

Ter acesso a informação de qualidade e ainda ter 30% de desconto?

Então é muito simples, vamos juntos para o Congresso Fotografar.

Faça sua inscrição na Feira Fotografar através do site da feira aqui

Após o credenciamento ligue para 0800 015 8400,(ligação gratuita, aceita somente por telefone fixo) se identifique como participante do grupo( Blog Além do Olhar) e mencionar o nome do organizador ( Márcio Neves).

Além do desconto de 30% o participante da caravana poderá parcelar o pagamento em até 4x sem juros no cartão de crédito.

Não perca esta oportunidade, venha se atualizar!

Sobre o Congresso Fotografar

São três dias dedicados ao que há de melhor na fotografia de casamento, família e newborn. Pelo Congresso Fotografar já palestraram profissionais reconhecidos mundialmente. A audiência é superqualificada, composta de formadores de opinião. A oportunidade de fazer networking e adquirir conhecimento é única e imperdível.

Para enriquecer a pauta do Congresso Fotografar 2017, FHOX convidou fotógrafos consolidados em cada área para formar um conselho consultivo. São eles: Arlindo Namour Filho (casamento), Fernanda Petelinkar (família), Daniela Margotto (newborn) e Rafael Karelisky (casamento).

Superterça: Wedding
No primeiro dos três dias de imersão fotográfica, a Feira Fotografar traz palestras de A Fist Full Of Bolts, Everton Rosa, Vinícius Mattos, Ana Paula Aguiar, Maíra Erlich e Ignácio Aronovich.

Neste dia também acontecerá a apresentação dos finalistas do Prêmio Wedding Best.

Superquarta: Família
O segundo dia é marcado por nomes como Bob Wolfenson, Henry Carroll, Simonetta Persichetti, Clicio Barroso, Carolina Pires, Daniel Freitas e Alexandre Urch.

Superquinta: Newborn
O terceiro e último dia de palestras recebe Son Kissed, Le Bear Design, Luciene Pestana, Cinara Piccolo, Cris Dal Cero e Maria Toscano.


Feira Fotografar 2017
28, 29 e 30 de Março - das 13h às 20h
Credenciamento gratuito aqui
Local:
Centro de Convenções Frei Caneca - São Paulo
Rua Frei Caneca, 569 – Consolação – São Paulo –SP







17 fevereiro 2017

Exposição: Magnum no cinema.

 Exposição leva os visitantes aos bastidores de obras-primas cinematográficas pelas lentes de fotógrafos da Magnum Photos


A exposição apresenta fotos clássicas e raramente vistas de importantes atores e atrizes de Hollywood nos bastidores de obras-primas cinematográficas. As imagens mostram outra perspectiva das atividades dos fotógrafos da agência Magnum – que registraram alguns dos momentos mais importantes da história no século XX – e nos lembram de sua versatilidade na cultura visual do pós-guerra. A narrativa construída pelo curador João Kulcsár revela a cumplicidade entre os atores ou diretores e os fotógrafos.

Alguns dos filmes registrados: Juventude Transviada (1955), O Pecado Mora ao Lado (1955), De Repente, no Último Verão (1959), A Morte de um Caixeiro-Viajante (1985), O Processo (1962), O Planeta dos Macacos (1968), Zabriskie Point (1970) e Luzes da Ribalta (1952).


As estrelas presentes na exposição: Marilyn Monroe, James Dean, Charlie Chaplin, Elizabeth Taylor, John Wayne, Natalie Wood, Clark Gable, Gregory Peck, Anthony Perkins, Romy Schneider, Buster Keaton, Dustin Hoffman e John Malkovich.

Os fotógrafos: Elliott Erwitt, Henri Cartier-Bresson, Bruce Davidson, Eve Arnold, Cornell Capa, Jean Gaumy, Burt Glinn, Ernst Haas, Eugene Smith, Erich Hartmann.


Exposição - Magnum no Cinema

Período: de 19 de fevereiro a 02 de abril de 2017
Horário: diariamente, das 10h às 20h (com entrada até 19h40)
Local: Galeria de Fotos do Sesi-SP (Av. Paulista, 1313 – em frente à estação Trianon-Masp do Metrô)
Grátis

Fonte: Fiesp

16 fevereiro 2017

Exposição: Ícones de Hollywood

 A era de ouro do cinema Americano chega a São Paulo em exposição fotográfica.


Retratos e imagens registradas durante a era de ouro do cinema integram a mostra “Ícones de Hollywood- Fotografias da John Kobal Foundation”, composta de mais de 150 fotografias da Função John Kobal, integrante do acervo da Getty Images e que pela primeira vez chega ao Brasil.

A exposição revela momentos, personagens e bastidores da chamada “Era de Ouro de Hollywood”, período compreendido entre as décadas de 1920 e 1960 e que marcou uma grande produção audiovisual dos principais estúdios dos Estados Unidos. Além de instantes captados por fotógrafos que trabalhavam nos bastidores da glamorosa indústria dos filmes ou poses tiradas para o material de divulgação dos mesmos, como cartazes, fotos para revistas e jornais, entre outros.

Entre as estrelas retratadas estão Joan Crawford, Bette Davis, Greta Garbo, Marlene Dietrich, Clark Gable, Gary Cooper, Orson Welles, Humphrey Bogart, Rita Hayworth, Marilyn Monroe, Paul Newman, Marlon Brando e Audrey Hepburn, entre outros.

O papel dos fotógrafos na fábrica de estrelas

O chamado sistema de estúdios de Hollywood nasceu em meados da década de 1920 e concentrou, por quase 4 décadas, a produção audiovisual dos Estados Unidos em 8 estúdios: MGM, Paramount, Warner Brothers, Columbia, 20th Century Fox, Universal, RKO e United Artists.

Os estúdios eram donos dos filmes e praticamente de todo o cinema: pensavam, produziam, dirigiam e cuidavam da distribuição dos filmes. Também atuavam administrando carreiras, com departamentos de publicidade e estratégias para blindar os atores principais contra as mutáveis preferências do público. Era como uma grande linha de produção, onde o gosto do público ditava as principais ações.

O papel da fotografia nessa indústria era o de criar laços afetivos. Antes do advento da televisão, do vídeo e do streaming, a maior parte dos espectadores via um filme apenas uma vez. As fotografias, especialmente aquelas reproduzidas em revistas, reforçavam e aprofundavam vínculos com as estrelas que foram inicialmente estabelecidos na grande tela.

Em 1969, muito depois que seu acervo de retratos originais foi criado, Kobal começou a procurar fotógrafos que foram grandemente desprezados pela indústria. Ainda que muito estivessem vivos, apenas Hurrell continuava trabalhando. Outros, como Ted Allan, Laszlo Willinger e Clarence Sinclair Bull, se haviam aposentado. O mundo perdido registrado em negativos 8x10 foi ressuscitado com vivo frescor em novas impressões em prata e hoje está em exposição em Ícones de Hollywood.

John Kobal (1940 – 1991)

Ivan Kobaly nasceu em Linz, na Áustria, em 1940, filho de pai ucraniano e mãe austríaca. Sua família emigrou para o Canadá quando ele tinha dez anos, e daí em diante ele se tornou conhecido como John Kobal.

Depois de terminar o ensino médio e após breve período em Nova York, mudou-se para Londres, que se tornaria seu lar. Em 1964, Kobal interrompe sua bem sucedida carreira de ator para se tornar correspondente e jornalista, interessado em adquirir relíquias do glorioso passado de Hollywood. A The Kobal Collection nasceu de uma reunião de imagens de arquivo cuidadosamente reunido ao longo dos anos.

Foi uma reunião casual com o retratista de Hollywood George Hurrell em 1969 que levou Kobal a começar a rastrear os stillsmen sobreviventes que documentaram a produção cinematográfica. De lá até sua morte, Kobal publicou vários livros, incluindo o pioneiro The Art of the Great Hollywood Photographers (A Arte dos Grandes Fotógrafos de Hollywood, 1980). Autor de mais de 30 livros sobre história do cinema, Kobal morreu em Londres em 1991.

Em 1969, muito depois que seu acervo de retratos originais foi criado, Kobal começou a procurar fotógrafos que foram grandemente desprezados pela indústria. Ainda que muito estivessem vivos, apenas Hurrell continuava trabalhando. Outros, como Ted Allan, Laszlo Willinger e Clarence Sinclair Bull, se haviam aposentado. O mundo perdido registrado em negativos 8x10 foi ressuscitado com vivo frescor em novas impressões em prata e hoje está em exposição em Ícones de Hollywood.


Curadoria e parceria com a Getty Imagens

A exposição Hollywood Icons tem curadoria de Robert Dance, da John Kobal Foundation Trustee, e, Simon Crocker, chairman da John Kobal Foundation. Após São Paulo, a exposição poderá ser vista em Roma, na Itália.

A John Kobal Foundation é integrante do acervo da Getty Images, um dos líderes no mercado de conteúdo visual do mundo. São quase 200 milhões de imagens disponíveis através de sites como www.gettyimages.com e www.istock.com.br e diversos clientes atendidos, trabalhando com mais de 200.000 contribuidores e centenas de parceiros de imagens para oferecer uma cobertura completa para mais de 130.000 notícias, eventos esportivos e de entretenimento.


Ícones de Hollywood
Datas: 
17 de fevereiro à 16 de abril
exposição gratuita
Ter a Sab - 10h às 19h
Dom e feriados - 10h às 17h
Alameda Barão de Piracicaba, 610 - Campos Elíseos - SP

13 fevereiro 2017

World Press Photo 2017

Anunciados os vencedores do maior prêmio do fotojornalismo mundial, com fotógrafos brasileiros entre os premiados.
Burhan Ozbilici- Um assassinato na Turquia- World Press Foto do Ano, primeiro prêmio singles- 19 de dezembro de 2016 

O que uma foto nos diz sobre um evento? Qual é a sua força emocional?

Como em todos os concursos da World Press Photo, a discussão envolve aspectos estéticos, técnicos e jornalísticos das imagens.

O grande vencedor deste ano foi o retrato de Burhan Ozbilici- que também ganhou o primeiro prêmio na categoria de Notícias Spot - mostra como Mevlüt Mert Altıntaş, policial de 22 anos, fora de serviço, assassinou o embaixador russo na Turquia, Andrey Karlov, em uma exposição de arte em Ankara, Turquia, em 19 de dezembro de 2016. Altıntaş feriu outras três pessoas antes de ser morto por oficiais em um tiroteio. Ozbilici é um fotógrafo do pessoal para a imprensa associada, baseada em Istambul.

Mary F. Calvin, membro do júri, falou sobre a fotografia vencedora:

"Foi uma decisão muito difícil, mas no final achamos que a imagem do ano foi uma imagem explosiva que realmente falou ao ódio de nossos tempos. Cada vez que apareceu na tela, você quase teve que se mover para trás porque é uma imagem tão explosiva e realmente sentimos que ela resume a definição do que a World Press Photo do Ano é e significa."

João Silva, membro do júri, acrescentou:

"Neste momento vejo o mundo marchar em direção à beira de um abismo, um homem que claramente atingiu um ponto de ruptura e sua declaração é assassinar alguém que ele realmente culpa, um país que ele culpa, pelo que está acontecendo em outro lugar Na região, eu sinto que o que está acontecendo na Europa, o que está acontecendo na América, o que está acontecendo no Extremo Oriente, no Oriente Médio, na Síria, e esta imagem para mim fala dela."

Brasileiros Premiados

Felipe Dana 

O fotojornalista Felipe Dana nasceu no Rio de Janeiro; ficou em terceiro lugar na categoria Spot News singles.è a segunda vez que Felipe figura entre os premiados do Word Press Photo, em 2013 teve uma foto com mensão honrosa, veja aqui.

Felipe começou cedo em sua carreira aos 15 anos quando começou a trabalhar como fotógrafo assistente. Mais tarde, ele cursou fotografia em uma universidade local, enquanto trabalhava como fotógrafo comercial e contribuía para várias agências de notícias locais e internacionais; trabalha para o escritório do Rio de Janeiro da Associated Press.

A foto premiada foi sobre a Batalha por Mosul, de16 de novembro de 2016.

Um carro-bomba explode ao lado de forças blindadas iraquianas blindadas enquanto avança em direção ao território islâmico em Mosul, no Iraque.

Lalo de Almeida
Lalo de Almeida estudou fotografia no Instituto Europeo di Design em Milão, Itália, ficou em segundo lugar na categoria questões contemporâneas- histórias.

Ele começou a trabalhar como fotojornalista para pequenas agências em Milão, cobrindo o trabalho policial na cidade. Mais tarde, trabalhou para a agência Grazia Neri, cobrindo eventos nacionais e internacionais como a guerra na ex-Jugoslávia. De volta ao Brasil, trabalhou para o jornal O Estado de S. Paulo, a nova revista Veja e trabalhou durante 16 anos como fotógrafo para o jornal Folha de São Paulo.

Suas fotos premiadas são sobre as Vítimas do vírus Zika, de 19 de outubro de 2016.

Em setembro de 2015, os bebês no Brasil começaram a nascer com microcefalia e outras malformações, e em abril de 2016 a ligação entre o vírus Zika e essas malformações foi confirmada. O Nordeste do Brasil, onde a maioria dos casos de microcefalia de Zika foi relatada, é uma das regiões mais pobres do país e carece de um sistema de saúde adequado.

Premiados.


O júri concedeu prêmios em oito categorias a 45 fotógrafos de 25 países: Austrália, Brasil, Canadá, Chile, China, Eslováquia, Espanha, Finlândia, França, Alemanha, Hungria, Índia, Irão, Itália, Paquistão, Filipinas, Roménia, Rússia e Sul. África, Espanha, Suécia, Síria, Nova Zelândia, Turquia, Reino Unido e EUA.

Nesta edição participaram 5.034 fotógrafos de 125 países, em um total de 80.408 imagens inscritas.

Selecionamos aqui algumas das imagens premiadas:

Fazendo exame de um carrinho em Baton Rouge
Edições contemporâneas, singles do primeiro prêmio
9 de julho de 2016

Jonathan Bachman 

As vítimas silenciosas de uma guerra esquecida
Vida diária, primeiro prêmio escolhe
29 de março de 2016
Paula Bronstein 

Dias negros da Ucrânia
Projetos de longo prazo, histórias de primeiro prêmio
2 de julho de 2014
Valery Melnikov 
Sorriso dourado do Rio
Esportes, singles do terceiro prêmio
14 de agosto de 2016
Kai Oliver Pfaffenbach 

Pandas Gone Wild
Natureza, segundo prêmio
30 de outubro de 2015
Ami Vitale 

Veja todas imagens vencedoras do 60th World Press Photo.




World Press Photo

É uma organização independente sem fins lucrativos fundada em 1955 em Amsterdã.
Conhecida por realizar anualmente a maior e mais prestigiada distinção de fotojornalismo do mundo.

Fonte: World Press Photo

10 fevereiro 2017

Feira Fotografar 2017

  Acontece em março a Fotografar, uma feira  repleta de novidades para  o mundo da imagem.


Uma feira de fotografia com público qualificado, onde você encontra profissionais, gente que vive e ama fotografia, marcas estabelecidas e ótimas oportunidades de negócios.

Ir à uma feira de negócios onde você encontra as melhores marcas apresentando lançamentos, conhecer de perto as novidades, comparar produtos e serviços e fazer a melhor compra já seria ótimo.

Na Fotografar, evento que acontece desde 2007, você tem ainda muita informação. São várias atividades educacionais como palestras gratuitas nos estandes dos expositores, FHOX Talks e palestras do Sebrae-SP. O Congresso Fotografar traz para você os melhores nomes mundiais e nacionais na fotografia de casamento, de família e newborn.

Outra atração, além do Fórum Fine Art Inside e do Fórum de Formatura, será o Fórum de Negócios. No total são mais de cem palestrantes discutindo a fotografia durante três dias intensos. Há ainda a exposição Wedding Best, resultado final do “Prêmio Wedding Best, o Álbum”, onde estarão expostos os melhores álbuns de casamento do Brasil.

A Fotografar está recheada de oportunidades de negócios e conteúdos atualizados.

Congresso Fotografar

São três dias dedicados ao que há de melhor na fotografia de casamento, família e newborn. Pelo Congresso Fotografar já palestraram profissionais reconhecidos mundialmente. A audiência é superqualificada, composta de formadores de opinião. A oportunidade de fazer networking e adquirir conhecimento é única e imperdível.

Para enriquecer a pauta do Congresso Fotografar 2017, FHOX convidou fotógrafos consolidados em cada área para formar um conselho consultivo. São eles: Arlindo Namour Filho (casamento), Fernanda Petelinkar (família), Daniela Margotto (newborn) e Rafael Karelisky (casamento).

Superterça: Wedding
No primeiro dos três dias de imersão fotográfica, a Feira Fotografar traz palestras de A Fist Full Of Bolts, Everton Rosa, Vinícius Mattos, Ana Paula Aguiar, Maíra Erlich e Ignácio Aronovich.
Neste dia também acontecerá a apresentação dos finalistas do Prêmio Wedding Best.

Superquarta: Família
O segundo dia é marcado por nomes como Bob Wolfenson, Henry Carroll, Simonetta Persichetti, Clicio Barroso, Carolina Pires, Daniel Freitas e Alexandre Urch.

Superquinta: Newborn
O terceiro e último dia de palestras recebe Son Kissed, Le Bear Design, Luciene Pestana, Cinara Piccolo, Cris Dal Cero e Maria Toscano.

Workshops

Acontecem na segunda-feira, véspera de abertura da Fotografar.

Tradicionalmente, palestrantes internacionais do Congresso Fotografar fazem workshops para um grupo restrito e seleto de profissionais. São participativos, com prática, mão na massa mesmo. A tradução é simultânea, para melhor aproveitamento do tempo e dinâmica da atividade.

Ainda acontecem workshops com profissionais brasileiros altamente qualificados sobre temas diversos, que são demandas da própria audiência ou que FHOX julga como fortes tendências de mercado.

Prêmio Wedding Best - O Álbum

Em 2017, o Prêmio Wedding Best chega a sua sexta edição. Organizada pela Revista FHOX em parceria com a Fotolab Álbuns, a iniciativa visa valorizar o álbum de casamento. Não bastam imagens bonitas e com qualidade, elas precisam contar uma história, transmitir a emoção da cerimônia e da festa e compor uma apresentação com design especial.

Os álbuns finalistas têm ditado tendências, servem de inspiração e referência, além de elevar o nível desse segmento.

Em 2016, o vencedor foi o curitibano Fer Cesar.

Fotógrafo de casamento, se você tem “o álbum”, participe. Mostre o seu talento. Além de prêmios, os álbuns finalistas ficam expostos durante a Feira Fotografar.

8º Fórum Brasileiro das Empresas de Formatura

O mercado de formatura é responsável por boa fatia do mercado fotográfico. Na mesma proporção de seu potencial, ele carece de informação. Uma de suas maiores deficiências é a gestão de um negócio que envolve grande volume de capital e longo prazo para entregar o produto.

O Fórum de Formatura tem como objetivo promover o encontro dos agentes desse rico mercado para discutir modelos de formatura, os novos rumos do mercado educacional brasileiro, práticas negociais e exemplos de formatos vencedores.

5º Fórum Fine Art Inside

A fotografia autoral caiu no gosto dos colecionadores de arte e começa a ser acessível a um público maior. O reflexo se dá em toda a cadeia produtiva do segmento. Ainda engatinhando, aprendendo e ensinando os caminhos, o Fórum Fine Art Inside vem para discutir esse mercado que se insinua promissor no Brasil.

3º Fórum Brasileiro de Negócios da Foto

Esta atividade estreou em 2015. Antes fazia parte da programação do Congresso Fotografar, como Quinta de Negócios. Ainda acontece na quinta-feira da Fotografar, mas agora a proposta é ter caráter de fórum, onde a participação dos ouvintes deve ser mais intensa e enriquecedora. Os rumos do mercado fotográfico em seus diversos segmentos, o novo consumidor de fotografia, como ganhar dinheiro nas redes sociais, a fotografia como experiência e os aplicativos ampliando fronteiras são alguns dos temas.

Fhox Talks

São apresentações de 20 minutos cronometrados, onde os palestrantes convidados apresentam ideias, contam suas experiências. O conteúdo inspira e motiva. Melhor ainda é que as minipalestras são gratuitas. Acontecem no espaço Arena FHOX.




Feira Fotografar 2017
28, 29 e 30 de Março - das 13h às 20h
Credenciamento gratuito aqui
Local:
Centro de Convenções Frei Caneca - São Paulo
Rua Frei Caneca, 569 – Consolação – São Paulo –SP

08 fevereiro 2017

Exposição: Sebastião Salgado Outras Histórias.

Exposição celebrará grandes trabalhos de um dos maiores fotógrafos de todos os tempos.


Depois de Kuwait, Um Deserto em Chamas, que esteve em cartaz nos últimos meses de 2016, a Galeria Mario Cohen recebe sua segunda mostra de Sebastião Salgado. Intitulada Sebastião Salgado: muitas histórias, traz 16 imagens de diferentes fases da trajetória do fotógrafo.

A ideia da seleção, segundo o galerista Mario Cohen – que também assina a curadoria –, é mostrar olhares de Salgado em diferentes épocas e acontecimentos, além de reunir fotos icônicas que dificilmente seriam apresentadas juntas.

As imagens foram retiradas dos livros Êxodos, Otras Américas, Gênesis, África e Trabalhadores, além do já citado Kuwait: um deserto em chamas.

Sebastião Salgado Muitas Histórias, será inaugurada na Galeria Mario Cohen, em São Paulo, a partir da próxima quinta-feira (9) (quarta, 8, serão as 73 primaveras do fotógrafo).

Mumbai - Índia, 1995 (do livro 'Êxodos') (Foto: Sebastião Salgado)


EXPOSIÇÃO SEBASTIÃO SALGADO – OUTRAS HISTÓRIAS
Período: De 9 de fevereiro a 3 de março
Local: Galeria Mario Cohen
Rua Joaquim Antunes, 177, cj. 12 - Jd. Paulistano
Tel (11) 3062-2084
Horário de Funcionamento:
Segunda a sexta, das 11h às 19h;
Sábados, das 11h às 15h
Entrada gratuita

Fonte: GQ e SP-Arte
Serra Pelada - Pará - Brasil, 1986 (do livro 'Trabalhadores') (Foto: Sebastião Salgado)
 
Copyright © 2014 Alem do Olhar - Fotografia. - Powered by Blogger - Traduzido Por: - Templates Para Blogspot