16 junho 2016

Maio da fotografia no MIS-SP acontece em junho.

Tradicional evento de fotografia traz exposições filmes e palestras  ao MIS-SP.


Anualmente, o MIS dedica um espaço na agenda de programação para mostras exclusivamente de fotografias com obras de artistas nacionais e internacionais. Neste ano, a mostra Maio Fotografia no MIS 2016  acontece excepcionalmente nos meses de junho e julho, quando todos os espaços expositivos do Museu serão ocupados por obras de artistas singulares e fundamentais na história da fotografia. André Sturm, diretor executivo e curador geral do MIS, assina a curadoria.

Para esta edição está programada uma mostra do fotógrafo britânico Martin Parr, a maior já realizada na América do Sul. Entre os destaques da programação de 2016 estão uma mostra de Jorge Bodanzky e uma exposição do Acervo MIS sobre o Vale do Ribeira. O Maio Fotografia no MIS ainda conta com a mostra Vertentes: Espaço de dentro, de André Conti, um dos artistas selecionados pelo programa Nova Fotografia 2016.

A programação paralela do Maio Fotografia no MIS traz pela primeira vez ao MIS a Foto Feira Cavalete nos dias 25 e 26 de junho. Realizado pela DOC Galeria, o evento reúne fotógrafos, galerias, editoras, selos independentes, artistas visuais e produtores, e é voltado para quem deseja adquirir fotografia, para quem valoriza a arte, a publicação independente e a troca de informação. Já nos dias 16 e 17 de julho, acontece uma mostra de filmes de Jorge Bodanzky. Em breve, mais informações sobre a programação.



Programação: Abertura da exposição 

Data: 18 de junho (sábado)
Horário: a partir das 12h
Ingresso Entrada gratuita para todas as exposições
  • Palestras
Local Auditório MIS (172 lugares)
Ingresso Gratuito, retirada de senha na recepção do MIS com uma hora de antecedência do início de cada  evento.

13h
Martin Parr (fotógrafo) e Iatã Cannabrava (curador da exposição Parrtificial), intermediada por Daigo Oliva (Editor-adjunto da Ilustrada/Folha de São Paulo, coautor do blog Entretempos da Folha.com).

15h
Jorge Bodanzky (cineasta, fotógrafo, professor), Thyago Nogueira (coordenador da área de fotografia contemporânea do Instituto Moreira Salles, cocurador da exposição No meio do rio, entre as árvores – A Amazônia de Jorge Bodanzky) e David Pennington (nascido em Liverpool e criado em Manaus, Amazonas, é professor de cinema na UNB, trabalhou com Bodanzky na Amazônia por mais de 20 anos)

17h
André Sturm (diretor executivo e curador geral do MIS, cocurador das exposições No meio do rio, entre as árvores – A Amazônia de Jorge Bodanzky e PRIMEIRAS MISSÕES), Patricia Lira (coordenadora do CEMIS/Centro de Memória e Informação do MIS e cocuradora da exposição PRIMEIRAS MISSÕES), João Kulcsár (professor, fotógrafo, Mestre em Artes pela Universidade de Kent, Reino Unido, e coordenador de fotografia do Senac. Esta em fase de finalização de um livro que aborda as principais coleções de fotografia do MIS).
  • Exibição de filmes de Jorge Bodanzky
Local Auditório LABMIS (66 lugares)
Ingresso Gratuito, retirada de senha na recepção do MIS com uma hora de antecedência do início de cada filme.

14h
Iracema - Uma transa amazônica (Dir. Jorge Bodanzky e Orlando Senna, 1974, 90 min, drama, Brasil/Alemanha, cor)
O filme é na realidade um auto-retrato da população da Transamazônica. Retrata realisticamente os problemas da região. Conta a história de uma menina do interior, que vai a Belém com a família para pagar promessa na festa do Sírio Nazaré. O novo meio e as companhias que encontra levam a menina à prostituição. Conhece num cabaré um motorista de caminhão Tião Brasil Grande, negociante de madeira. Influenciada pelas outras prostitutas ela quer ir para os grandes centros (São Paulo e Rio) e pega carona com o motorista. Com Paulo César Pereio (Tião Brasil Grande) e Edna de Cássia (Iracema) nos papéis principais

16h
Terceiro milênio (Dir. Jorge Bodanzky, 1981, 90 min, Brasil, documentário)
O documentário registra a viagem do senador amazonense Evandro Carreira por seu estado em agosto de 1980. A região percorrida é do Alto Solimões, fronteiriça ao Brasil, Peru e Colômbia. Depoimentos de caboclos, de madeireiros, do sertanista Paulo Lucena, de índios brasileiros e peruanos são colhidos desde a cidade de Benjamin Constant até o vilarejo de Cavalo Cocho. No trajeto, revela-se a potencialidade econômica do Amazonas e seus desvios: a corrupção na política indigenista e a presença de fábricas poluidoras às margens do Rio Solimões.

19h
No meio do rio, entre as árvores (Dir. Jorge Bodanzky, 2010, 70 min, Brasil, documentário)
O documentário é resultado de uma expedição ao Alto Solimões, onde foram ministradas oficinas de vídeo, circo e fotografia às comunidades ribeirinhas, dentro de reservas ambientais. O filme é feito por eles, a partir da tecnologia recém aprendida e com a visão “de dentro para fora”, sem intérpretes. Com o conhecimento adquirido, os próprios alunos começam a registrar as suas vidas cotidianas, destacando tanto a beleza natural da região quanto as consequências negativas da exploração econômica dos recursos disponíveis.
  • Visitas ao acervo: 13h30 e 15h30
Em duas turmas (às 13h30 e 15h30), a equipe do Centro de Memória e Informação do MIS (CEMIS) apresenta aos visitantes parte de seu vasto acervo de mais de 200 mil itens, por meio de uma visita guiada.  A visita tem duração de 60 minutos e a entrada é gratuita (20 pessoas por sessão).
  • 12h às 20h - Barracas de comida na área externa

Museu da Imagem e do Som de São Paulo - MIS
Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo - SP
Telefone: 55 11 2117 4777
exposição / fotografia
terças a sábados, das 12h às 20h; domingos e feriados, das 11h às 19h
Abertura: 18 de junho, sábado
exposições 1º andar
R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia)

Fonte: MIS


Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Alem do Olhar - Fotografia. - Powered by Blogger - Traduzido Por: - Templates Para Blogspot