23 setembro 2014

Oficina de Fotografia e Memoria em Direitos Humanos

Fotógrafos promovem oficina para discutir a relação entre imagem e dignidade humana.


FOTOGRAFIA E MEMÓRIA EM DIREITOS HUMANOS

A Oficina de Fotografia e Comunicação em Direitos Humanos, que integra o projeto “Cartografia de Direitos Humanos de São Paulo”, proposto pela Cátedra Unesco de Educação para a Paz, Direitos Humanos Democracia e Tolerância, sediada no Instituto de Estudos Avançados em parceria com o Centro Universitário Maria Antônia da Universidade de São Paulo, tem o intuito de promover o diálogo com fotógrafos humanistas que zelam pela dignidade humana e projetam o ser humano como fonte de inspiração em suas relações com representações estéticas e modos de trabalho. O objetivo desta iniciativa é, por meio da fotografia artística e documental, resgatar e tornar acessível a preservação da memória, da identidade e da liberdade de expressão, itens essenciais ao desenvolvimento humano.

O curso se baseia em apresentações teóricas, técnicas básicas e palestras dos fotógrafos convidados sobre suas experiências e trabalhos desenvolvidos a partir do modo como percebem o mundo. As oficinas são voltadas para o público interessado em direitos humanos e fotografia, e não é necessário ter equipamento profissional. Os encontros vão ocorrer em 27 de setembro (com Rosa Gauditano e André Bueno), 4 de outubro (com Epitacio Pessoa e André Bueno) e 11 de outubro (com Douglas Mansur e André Bueno). Em todos os dias, a jornada se estenderá das 9h às 12h, no Centro Universitário Maria Antonia – USP.

André Bueno

Bacharel em Propaganda e Marketing pela Universidade Paulista (2004) e especialista em Gestão da Comunicação: Políticas, Educação e Cultura pelo Departamento de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (2012). É fotógrafo, educador, produtor cultural e assessor técnico do Cenpec - Centro de Estudos e Pesquisa em Educação Cultura e Ação Comunitária, atuando em fotografia documental e educação para o desenvolvimento humano e fotografia de rua. Fotojornalista, publicou seus trabalhos em vários veículos de comunicação. Em 2012, a convite do Museu da Imagem e do Som, desenvolveu o projeto fotográfico Pontos de Vista.

Epitacio Pessoa

Desde a infância ele sonhava com um mundo de cores e imagens, brincando de cinema com caixas de papelão. Em 1986, ganhou do pai sua primeira máquina fotográfica, uma Pentax K1000. Em 1987, chegou ao jornal Diário de Sorocaba (SP), para o qual realizou seus primeiros trabalhos como repórter fotográfico. Um ano depois foi para o Jornal O Estado de São Paulo (SP), na capital paulista.

Douglas Mansur

Repórter fotográfico, completou 30 anos de carreira em 2011. Com passagens por várias instituições de movimentos sociais e veículos de comunicação, tem título de Cidadão Paulistano e duas Menções Honrosas do MST. Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás (UFG), é mestre pelo Programa de Integração da América Latina da Universidade de São Paulo. Realizou diversas exposições no Brasil e no exterior, nas quais retratou os movimentos sociais brasileiros por meio de uma grande documentação iconográfica e histórica.

Rosa Gauditano

Estudou Jornalismo nas Faculdades Integradas Alcântara Machado/Casper Líbero e Fotografia na Fundação Álvares Penteado. Começou a trabalhar em 1977 para o jornal Versus, do qual se tornou editora de Fotografia no ano seguinte. Depois, atuou  de forma independente para  diversas publicações antes de integrar a equipe do jornal Folha de São Paulo, em 1984. Em 1987, fundou a agência Fotograma Fotojornalismo e Documentação. Durante dois anos, 1980 e 1981, foi professora de Fotojornalismo na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Desde então, concentrou seu foco nas comunidades indígenas, tendo realizado um trabalho de profundo significado humano.

Programação/Conteúdo:

·         Apresentação dos participantes e discussão sobre o cronograma e expectativas sobre o curso;
·         Apresentação do projeto Cartografia de Direitos Humanos de São Paulo e curadoria exposição fotográfica;
·         Fotografia e Comunicação como direito humano e para o desenvolvimento humano;
·         Documentação e estereótipos em espaços vulneráveis (fotografia de rua e documentarismo, formas de abordagem);
·         A fotografia documental em “Elogiemos os Homens Ilustres”, de James Agee e Walker Evans”;
·         Questões éticas: a fotografia como relação de troca e desenvolvimento do olhar;
·         Democratização dos meios, narrativas e discursos fotográficos na atualidade;
·         Técnicas básicas (equipamentos e suportes de apresentação);
·         Limites da edição e intervenção sobre fotos (questões éticas e liberdade de expressão)
·          Referencial sobre fotógrafos humanistas (Lewis Hine e outros);
·         Apresentação de projetos e experiências em fotografia e direitos humanos;
·         Concepção de projetos, produção e apresentação de trabalho autoral humanista.


Projeto Cartografia de Direitos Humanos de São Paulo

“Cartografia de Direitos Humanos de São Paulo” é um projeto proposto pela Cátedra Unesco de Educação para a Paz, Direitos Humanos Democracia e Tolerância, sediada no Instituto de Estudos Avançados, em parceria com o Centro Universitário Maria Antônia da Universidade de São Paulo. Por meio de diversas linguagens artísticas, a iniciativa busca estimular a sociedade a entender o significado dos direitos humanos e, ao mesmo, tempo conhecer a história das lutas e das conquistas por direitos humanos que marcaram a cidade.

Sob a coordenação da professora Rossana Rocha Reis, do Departamento de Ciência Política da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) e com a coordenação executiva de Rafael Borsanelli, chefe da Divisão de Comunicação do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo, o projeto tomou forma e traz em seu bojo uma metodologia que aproxima o público do assunto de maneira reflexiva. Para reunir as informações deste trabalho, está sendo lançado o site www.cartografiadh.iea.usp.br , com entrevistas em vídeo com jornalistas, militantes sociais e ativistas que vivenciaram a prática dos direitos humanos em São Paulo. O site traz, ainda, um mapeamento - a cartografia  - de marcos espalhados pela metrópole que relembram e indicam os cenários associados à defesa dos direitos humanos. Nesse sentido, a cartografia mostra-se como uma importante ferramenta da plataforma digital. Dessa maneira, o público terá acesso a um conteúdo com referências que permitem conhecer o que são e quais são as histórias de luta pelos direitos na capital.

Acompanhe em www.facebook.com/cartografiadireitoshumanos

SERVIÇO

Local: Centro Universitário Maria Antonia – USP (Rua Maria Antonia, 294 – Consolação)
Datas: 27 de setembro, 4 e 11 de outubro de 2014 (sábados)  
Horário: das 9h às 12h
Vagas: 20*        
Carga horária: 12 horas (3 encontros de 4 horas cada)
Faixa etária: para maiores de 15 anos de idade              
Valor: Gratuito
* Inscrição pelo email mlcalaz@usp.br
**Mais informações no site http://www.iea.usp.br/eventos/fotografia-e-memoria-em-direitos-humanos


Postar um comentário

 
Copyright © 2014 Alem do Olhar - Fotografia. - Powered by Blogger - Traduzido Por: - Templates Para Blogspot